Você está aqui:
Meta 44 – Participação da produção audiovisual independente brasileira na programação dos canais de televisão

44Participação da produção audiovisual independente brasileira na programação dos canais de televisão
Aumentar a exibição de produções audiovisuais independentes nacionais nos canais de TV aberta e por assinatura

  • 25% nos canais da TV aberta e 20% nos canais da TV por assinatura;

A diversidade cultural brasileira pode e deve estar mais presente na programação televisiva. Para isso, é importante estimular tanto a produção como a circulação de obras independentes. Esse estímulo contribui para dinamizar a economia do audiovisual brasileiro e ampliar o acesso da população à diversidade cultural do país.

As produções audiovisuais independentes são aquelas que não têm como produtor principal as grandes empresas de radiodifusão (sistema de transmissão de voz via sinais radiofônicos) e de cabodifusão (sistema de transmissão de sinais de alta frequência por cabos).

Segundo a Constituição Federal (artigo 221), as emissoras de rádio e de televisão devem promover a cultura nacional e regional, além de estimular a produção audiovisual independente. Com base nesse princípio, portanto, estabeleceu-se uma participação mínima da produção independente brasileira na TV, tanto na TV aberta como na TV por assinatura. Essa participação pode ser feita por meio de filmes de curta ou longa-metragem, minisséries e obras criadas para o formato específico da televisão.


Como esta meta está sendo medida

Pelo número de horas exibidas de produção independente brasileira por meio de filmes, obras seriadas e obras de formato específico para o segmento de TV, em relação ao total de horas desses produtos audiovisuais na TV aberta e na TV por assinatura.


Situação da meta

Em relação  ao percentual de horas de produção independente brasileira exibidas na TV por assinatura, o aumento foi de 2%, comparado ao ano anterior, e 33% comparado ao ano de 2010. Além disso, é importante ressaltar que para a TV aberta foram consideradas fontes secundárias para o calcular o tempo total de veiculação de longas metragens brasileiros/tempo total de veiculação de longas metragens. Já os dados da TV por assinatura são obtidos a partir de dados primários extraídos de relatórios de programação enviados por meio do Sistema de Envio de Programação de TV (SRPTV). Neste caso, são considerados o número de horas exibidas de produção independente brasileira por meio de filmes, obras seriadas e obras de formato específico para o segmento de TV em relação ao total de horas desses produtos audiovisuais na TV por assinatura.

**Dando continuidade aos parâmetros que resultaram na série histórica desse indicador, foram consideradas fontes secundárias para o cômputo do tempo total de veiculação de longas metragens brasileiros/tempo total de veiculação de longas metragens no ano de 2016.

Fonte: Agência Nacional do Cinema (Ancine) – Superintendência de Análise de Mercado (SAM)

Data de atualização: 31/12/2016


O que foi feito em 2016 para alcançar esta meta

A ANCINE divulgou o Informe de Acompanhamento do Mercado de TV Aberta, realizado pela Superintendência de Análise de Mercado (SAM) da Agência, que apresenta o resultado do monitoramento da programação das redes de televisão (Band, CNT, Globo, Record, RedeTV!, SBT, TV Brasil, TV Cultura e TV Gazeta) no ano de 2015. Entre os tipos de programas exibidos na TV brasileira, a categoria Entretenimento lidera a programação, com 49,3% do tempo total dos canais. Já a categoria Educação é a que menos ocupa tempo na grade de programação das emissoras, sendo mais bem representada na TV Brasil, com 10,8%, e na TV Cultura, com 9,6%. Por outro lado, mantém-se um aumento progressivo na destinação de tempo à categoria Informação (20,6%) — que figurou com 15,1% em 2012, 16% em 2013 e 19,3% em 2014.

A agência também lançou o edital BRDE/FSA PRODAV 03/2016, que se destina à seleção de propostas de Núcleos Criativos para o desenvolvimento de Carteira de Projetos de obras audiovisuais seriadas, de obras audiovisuais não seriadas de longa-metragem e de formatos de obra audiovisual, brasileiros de produção independente.

Além disso, lançou 5 editais da linha de produção de conteúdos destinados às TVs Públicas do Programa Brasil de Todas as Telas. A linha é operada por meio de uma parceria entre a Ancine, a SAv e a EBC, e conta com o apoio da ABTU, ABCCOM e ABEPEC. Esses editais destinam-se à seleção de propostas de projetos de produção independente de obras audiovisuais brasileiras, com destinação inicial ao campo público de televisão (segmentos comunitário, universitário, educativo e cultural).


Veja todas as metas que também estão nos temas : 

Ver mais metas marcadas com as tags: 

Notícias Relacionadas

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.