Você está aqui:
MinC participa da 16ª Bienal de Arquitetura de Veneza

Com inauguração em maio de 2018, a participação oficial do Brasil na 16ª Mostra Internacional de Arquitetura – Bienal de Veneza terá curadoria dos arquitetos Gabriel Kozlowski, Laura González Fierro, Marcelo Maia Rosa e Sol Camacho. Selecionado pela Fundação Bienal de São Paulo, o coletivo irá apresentar Muros de Ar, exposição que explora a questão da transposição de fronteiras materiais e imateriais do Brasil e de sua arquitetura.

Da esquerda para a direita, Marcelo Maia Rosa, Laura Gonzalez Fierro, Sol Camacho e Gabriel Kozlowski, curadores da representação brasileira na 16ª Mostra Internacional de Arquitetura – Bienal de Veneza (Foto: Pedro Ivo Trasferetti – Fundação Bienal de São Paulo)

“O tema coloca o muro como um elemento da arquitetura, da cultura e da identidade brasileira e vê no ato de sua transposição um convite ao convívio e à multiplicidade cultural”, explicam os arquitetos curadores. “Desse modo, posiciona-se contrária à homogeneização, intolerância e extremismo provenientes do isolamento e reclusão. É uma proposta que celebra o coabitar e não somente o coexistir”. A mostra, que irá ocupar o pavilhão do Brasil, é uma resposta à curadoria geral da 16ª Bienal de Arquitetura, que nesta edição propõe, sob o título Freespace, uma reflexão sobre a essência espacial da arquitetura e a sua potencialidade de mediar, pela fruição do espaço vazio, a relação entre as pessoas e os edifícios.

Por meio de uma pesquisa coletiva, Muros de Ar se propõe a tornar visível as formas de separação espacial e conceitual resultantes dos processos de urbanização do país. Além de questionar as diferentes formas de muros que constroem, em diversas escalas, o território brasileiro, a proposta pretende repensar as fronteiras da própria arquitetura em relação a outras disciplinas.

O pavilhão apresentará a proposta curatorial Muros de Ar por meio de duas frentes expográficas. A primeira consiste de uma pesquisa realizada em parceria com um grupo de colaboradores e instituições que irá gerar novo conteúdo a ser representado por meio de desenhos cartográficos. A segunda refere-se a uma chamada de projetos aberta aos arquitetos do país, mecanismo inédito no pavilhão brasileiro. O chamamento será anunciado nas ultimas semanas de dezembro.

“Ao selecionar a proposta Muros de Ar para representar o país na Bienal de Arquitetura de Veneza, a Fundação Bienal de São Paulo rearticula, em âmbito internacional, alguns dos debates mais atuais da arquitetura brasileira, e reafirma seu compromisso com o intercâmbio e a promoção cultural do Brasil”, diz o presidente da fundação, João Carlos de Figueiredo Ferraz.

Desde 1995, a organização das representações oficiais do Brasil nas bienais de Arte e Arquitetura de Veneza é uma atribuição conjunta dos Ministérios da Cultura e das Relações Exteriores – responsáveis pela promoção e difusão da cultura brasileira nos âmbitos nacional e internacional, e da Fundação Bienal de São Paulo – responsável pela escolha dos curadores e a produção das mostras.

Sobre os curadores da participação oficial do Brasil na 16ª Mostra Internacional de Arquitetura – Bienal de Veneza:

Gabriel Kozlowski é arquiteto, formado pela PUC-Rio (2011) e mestre em Urbanismo pelo MIT (2015). Atualmente leciona como Teaching Fellow no Departamento de Arquitetura do MIT e trabalha como pesquisador associado no Leventhal Center for Advanced Urbanism. Anteriormente, foi líder de projeto no SENSEable City Lab; pesquisador para o pavilhão dos EUA na 14ª Bienal de Veneza; e co-fundador do coletivo ENTRE. Recebeu entre outros reconhecimentos o Department of Architecture Graduate Fellowship no MIT (2013), o prêmio de melhor tese de mestrado pela mesma Universidade (2015), o MIT-Brazil TVML Seed Fund (2016), e foi selecionado para o Buckminster Fuller Institute’s Catalyst Program (2017).

Laura González Fierro é arquiteta pela Universidade Iberoamericana da Cidade do México (2002) e mestre em arquitetura pela Universidade de Columbia GSAPP (2008). Em 2010, fundou +ADD, atuando em Cidade do México, São Paulo e Nova York nas áreas de projetos de arquitetura, urbanismo, design e consultoria. Seu trabalho foi publicado pela Braun Publishing, LEAF Review, PIN-UP entre outros. Paralelamente à prática fundou o LED [Laboratório Experimental a Distância], uma plataforma dedicada a pesquisa multidisciplinar sobre o ambiente construído e as dinâmicas urbanas.

Marcelo Maia Rosa é arquiteto e sócio do Andrade Morettin Arquitetos Associados (2007), escritório vencedor do concurso para nova sede do IMPA-RJ (2015), onde coordenou o projeto do novo museu do Instituto Moreira Salles (2017), em São Paulo. Marcelo é graduado em arquitetura e urbanismo pela Universidade Mackenzie em São Paulo e TU/e em Eindhoven (2005) – com cursos complementares pela Université Paris Sorbonne (2012) – e pós graduado pela Escola da Cidade (2017), onde atualmente é professor. Foi curador em 2015 do Global Shapers Community Hub São Paulo, iniciativa do World Economic Forum.

Sol Camacho é arquiteta pela Universidade Iberoamericana da Cidade do México e Paris Val de Seine (2004) e mestre em arquitetura e urbanismo pela Universidade de Harvard (2008). Fundou o escritório RADDAR em São Paulo (2011). Recebeu o Premio Lafarge Holcim Awards (2017) pelo projeto PIPA – Conjunto cultural e comercial em Paraisopolis onde tem uma sede do RADDAR desenvolvendo pesquisa sobre o entorno. Entre outros reconhecimentos, Sol foi candidata ao Rolex Mentor and Protégé Arts Initiative (2016) e ganhou duas vezes a bolsa de Pesquisa FONCA (2012, 2014). Atualmente, Sol é diretora Cultural do Instituto Bardi / Casa de Vidro.

Pavilhão do Brasil na 16ª Mostra Internacional de Arquitetura – Bienal de Veneza

Comissário: João Carlos de Figueiredo Ferraz, presidente da Fundação Bienal de São Paulo
Curadoria: Gabriel Kozlowski, Laura González Fierro, Marcelo Maia Rosa e Sol Camacho
Título da exposição: Muros de Ar
Local: Pavilhão do Brasil
Endereço: Giardini Castello, Padiglione Brasile, 30122 Veneza, Itália
Data: 26 de maio a 25 de novembro de 2018

Fonte: ASCOM MinC
Com informações da Fundação Bienal de São Paulo

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ancine apoia participação brasileira em festivais no exterior
Durante o mês de novembro, a Agência Nacional do Cinema (Ancine), instituição vinculada ao Ministério da Cultura, apoiará a participação de 12 obras audiovisuais brasileiras em oito festivais internacionais. A ajuda vem do Programa de Apoio à Participação Brasileira em Festivais, Laboratórios e Workshops Internacionais.
A coprodução Brasil-Canadá-Austrália “Man proposes, god disposes”, de Daniel Leo, abre as participações dos filmes apoiados pela Ancine. O longa-metragem participa da competição internacional de novos realizadores do Festival Internacional Mannheim-Heidelberg, evento que ocorre entre os dias 9 e 19, em Mannheim, na Alemanha. De 10 a 18 de novembro, está sendo realizada na Espanha a 43ª edição do Festival de Cinema Ibero-Americano de Huelva. O festival recebe o curta “O espírito do bosque”, de Carla Saavedra, com o apoio do Programa da Ancine. 
IDFA – Festival Internacional de Documentários de Amsterdã ocorre de 15 a 26 de novembro, na Holanda, e é o evento do mês com maior número de participantes brasileiros apoiados pela agência. “Piripkura”, de Renata Terra, Bruno Jorge e Mariana Oliva, aparece na Competição Primeira Obra; “Boca de fogo”, de Luciano Pérez Fernández, participa da Competição de Curtas Documentários; a coprodução Brasil-Cuba “Soy” será exibida pela Competição de Documentários Estudantis; a coprodução França-Brasil “Híbridos, Os Espíritos do Brasil”, de Vincent Moon e Priscilla Telmon, entra para a competição de Documentários Musicais; e, de Heloisa Azevedo Passos, “Construindo pontes” participa da programação do festival na mostra Panorama.
Na Competição Internacional do Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata, na Argentina, será exibida o longa “Invisible”, de Pablo Giorgelli. O evento, que chega a sua 32ª edição, acontece entre os dias 17 e 26 de novembro. O Black Nights Film Festival será realizado de 17 de novembro a 3 de dezembro, em Tallinn, na Estônia, e recebe “Bingo: o rei das manhãs” na competição de primeiros filmes. Já em Turim, na Itália, será realizado de 21 a 26 de novembro o Torino Film Lab, que conta com a presença do projeto “Medusa”, de Anita Rocha da Silveira.
A 39ª edição do Festival dos 3 Continentes está marcada para os dias 21 e 28 de novembro, em Nantes, na França, e recebe em sua mostra não competitiva o longa “As boas maneiras”, de Marco Dutra e Juliana Rojas. Fechando o ciclo de participações apoiadas pela Ancine em eventos internacionais durante o mês de novembro, “Corpo elétrico”, de Marcelo Caetano, será exibido na competição internacional de longas do Festival Internacional de Cinema de Belfort, entre 25 de novembro e 3 de dezembro, também na França.
Fonte: Ancine

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Será realizado em São Paulo maior evento de economia criativa da América do Sul
O Ministério da Cultura (MinC) lança, nesta quarta-feira (25), um portal dedicado ao maior evento multissetorial da economia criativa da América do Sul: o Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsul). Nele, é possível encontrar notícias, editais, informações sobre o evento e sobre os países participantes em português, espanhol e inglês. 
Aberto ao público, o evento, que será realizado de 23 a 27 de abril, em São Paulo, busca gerar negócios e investimentos, capacitar empreendedores culturais e internacionalizar bens e serviços culturais. Em 2018, o Micsul vai reunir atores de dez setores da economia criativa: artes cênicas (circo, dança e teatro), audiovisual, animação e jogos eletrônicos, design, música, museus e patrimônio, artes visuais, moda, editorial e gastronomia.
O Ministério da Cultura irá selecionar empreendedores culturais para participar do evento. O edital e todas as informações serão publicadas em breve no portal do MinC.
Histórico
Entre 15 e 18 de maio de 2014, a cidade de Mar del Plata, na Argentina, sediou o primeiro Mercado de Indústrias Culturais do Sul (Micsur). Criado com objetivo de promover intercâmbio de conhecimento, produtos e serviços culturais e criativos, o evento reuniu dez países da América do Sul: Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.
Os resultados foram positivos e envolveram 800 compradores e vendedores da América do Sul e 80 compradores internacionais de Espanha, Japão, Finlândia, Reino Unido, Estados Unidos e China. Além disso, houve 9 mil rodadas de negócios, 30 apresentações ao vivo, 50 conferências e debates setoriais, oito reuniões institucionais de organismos culturais da América Latina e um desfile de moda. O Brasil levou delegação com 199 empreendedores, sendo 112 deles com algum tipo de apoio do governo.
Entre 17 e 20 de outubro de 2016, foi a vez de Bogotá, na Colômbia, sediar o evento. Ao longo dos três dias, foram 100 horas de programação entre showcases de música, teatro, dança e encontros acadêmicos. Além disso, o Micsul reuniu ainda 500 compradores e vendedores da América do Sul, 60 compradores internacionais da Espanha, Japão, Finlândia, Reino Unido, Estados Unidos e China. Entre os resultados, constam ainda 3,5 mil rodadas de negócios.
Texto e Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrições abertas para o Programa Encontros com o Cinema Brasileiro com o Festival de Roterdã

Estão abertas as inscrições para a 25ª edição do Programa Encontros com o Cinema Brasileiro, que desta vez envolve o Festival Internacional de Cinema de Roterdã, que acontece de 24 de janeiro a 4 de fevereiro de 2018, na Holanda. O evento será representado pelo curador Gustavo Beck, que estará no Rio de Janeiro em novembro para assistir a sessões exclusivas dos longas-metragens brasileiros independentes que vier a selecionar. 

O Programa é uma iniciativa da ANCINE, em parceria com o Ministério das Relações Exteriores (MRE), e com o apoio do Programa Cinema do Brasil, com o objetivo de aumentar a visibilidade do cinema brasileiro no mercado internacional, investindo na aproximação das relações com os curadores dos principais festivais do mundo.

Inscrições até 29 de outubro

Serão considerados elegíveis para a seleção longas-metragens brasileiros independentes e inéditos internacionalmente. Para os filmes que não estejam finalizados, será necessário já possuir um corte provisório de imagem/som, sabendo que os realizadores assumem o compromisso de, caso venham a ser selecionados, terem o filme finalizado a tempo para exibição no festival. Já nos casos de coproduções é necessário que o Brasil seja o parceiro majoritário do projeto.

Os interessados em participar devem preencher completamente o formulário de inscrição online no Portal ANCINE, e disponibilizar um link onde esteja disponível para visualização um teaser/trailer, com entre 2 e 5 minutos de duração, legendado em inglês. O prazo vai até as 23h59 do dia 29 de outubro.

As informações das inscrições e os respectivos links serão repassados ao curador que selecionará de dez a doze filmes, dos quais ao menos dois deverão ser, idealmente, de associados do Programa Cinema do Brasil.

Clique aqui para acessar o regulamento da 25ª edição do Programa Encontros com o Cinema Brasileiro.

Fonte: ANCINE

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ANCINE divulga vencedores do edital de coprodução com o Uruguai

18/09/2017 11:30

A ANCINE e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) anunciaram nesta segunda-feira, 18 de setembro, os projetos vencedores do edital de coprodução Brasil-Uruguai 2017, promovido em parceria com o ICAU – Instituto de Cinema y Audiovisual, do Uruguai. O concurso binacional contemplou dois projetos com um total equivalente a 300 mil dólares.

Foram selecionados o projeto majoritariamente brasileiro “Obreiro”, de Gabriel Mascaro, apresentado pela produtora uruguaia Malbicho Cine, em coprodução com a brasileira Desvia Produções; e o projeto majoritariamente uruguaio “A teoria dos vidros quebrados”, de Diego Fernandez, apresentado pela brasileira Okna Produções, em coprodução com a produtora uruguaia Edición. Cada um deles receberá investimentos no valor equivalente, em moedas locais, a 150 mil dólares.

A Chamada Pública PRODECINE 09/2016 – Coprodução Uruguai-Brasil do Programa Brasil de Todas as Telas teve Comissão Binacional de Seleção formada pela assessora internacional da ANCINE, Ana Julia Cury Cabral, e pela produtora Sara Silveira, designadas pela ANCINE; e pela coordenadora Geral do ICAU, Inés Peñagaricano, e pelo cineasta Sebastián Bednarik, designados pelo ICAU.

Na ata, a comissão justifica a escolha de “A teoria dos vidros quebrados” “por ser um drama de caráter original, com elementos bem resolvidos de comédia, que apresenta um cenário típico da fronteira uruguaia e brasileira, e com uma personagem central de uma pessoa comum, mas extremamente instigante dentro da sua trajetória no roteiro”. Já “Obreiro” venceu a disputa “por construir solidamente um roteiro que assume os riscos de contar uma história em uma atmosfera irreal, que ao mesmo tempo remete a um tema cotidiano e atual de forma original.”

Esta é a sétima edição do edital de coprodução com o Uruguai. Gabriel Mascaro, diretor de “Obreiro”, já venceu o concurso na edição de 2011, quando o longa “Boi neon” iniciou seu financiamento. O filme acabou fazendo uma carreira internacional de grande sucesso, com destaque para o prêmio especial do Júri no Festival de Veneza em 2015.

Fonte: ANCINE

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

IberCultura Viva abre inscrições para Edital de Mobilidade

06.09.2017 – 17:25

O programa IberCultura Viva está com inscrições abertas, até 1º de outubro, para o Edital de Mobilidade 2017. A seleção é dirigida às organizações interessadas em participar do 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, que será realizado de 20 a 25 de novembro, em Quito (Equador). Será destinado um total de US$ 45 mil para a compra de passagens aéreas. O evento é organizado pela Rede de Cultura Viva Comunitária do Equador e tem como um de seus principais objetivos trabalhar o “Ser comunitário”.

Poderão participar do edital representantes de organizações/coletivos que trabalham com cultura de base comunitária nos países membros do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai. Cada organização/coletivo poderá apresentar uma pessoa candidata.

Serão levados em conta na avaliação a experiência da organização em ações culturais comunitárias e o histórico de participação em processos de articulação de redes em âmbito nacional e/ou internacional, além do perfil da pessoa candidata.

O formulário de inscrição deverá ser completado exclusivamente online, incluindo o envio de anexos, e não serão aceitas apresentações que tenham data de chegada anterior a 19 de novembro e data de regresso posterior a 26 de novembro de 2017. As inscrições, abertas na última segunda-feira (4), terminam em 1º de outubro, às 23h59, considerando o horário oficial de Buenos Aires, Argentina (atualmente, o mesmo de Brasília). O resultado final será divulgado no dia 10 de outubro.

Passagens + inscrição

Os selecionados pelo edital receberão a passagem de ida e volta, o seguro de viagem e a taxa de inscrição para o congresso. As pessoas selecionadas ainda poderão fazer uso do espaço de camping e participar das comidas comunitárias incluídas na inscrição, ou resolver sua hospedagem e alimentação por seus próprios meios. O Edital de Mobilidade não inclui hospedagem, nem alimentação.

A rede organizadora do congresso tem prevista uma área para acampamento e alimentação comunitária. Também facilitará o acesso a hotéis que se encontram a 2km do lugar onde serão desenvolvidas as atividades centrais do evento. O custo dos hotéis não está incluído na taxa de inscrição.

Existem duas modalidades de inscrição para o 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária: os que pagam US$ 35 têm acesso às atividades e os que pagam US$ 70 têm acesso às atividades, à zona de camping e à alimentação. O programa IberCultura Viva pagará a modalidade de inscrição que inclui camping e alimentação. Consultas sobre o edital podem ser feitas pelo e-mail programa@iberculturaviva.org.

Fonte:

Teresa Albuquerque
Programa IberCultura Viva
Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *