Você está aqui:
Museu da Casa de Rui Barbosa reabre para visitação

Após reforma da fachada e melhorias no jardim histórico, o museu da Fundação Casa de Rui Barbosa, instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), reabre ao público. Estão no local cerca 60 mil livros e 1,4 mil peças de mobiliário e objetos decorativos e de uso pessoal de Rui Barbosa.

O jurista cuidava pessoalmente da decoração da casa, que demonstra forte influência europeia. Objetos e móveis trazidos das suas viagens somam-se a peças adquiridas em famosos magazines da cidade, como Mappin & Webb, Casa Leonardos e Loja América e China. 

Os ambientes do Museu permaneceram basicamente fiéis ao tempo em que a casa era habitada por Rui Barbosa. As pinturas, os lustres, tapetes e móveis oferecem ao visitante uma visão do que era, na época, a residência de uma família da classe média urbana em formação na sociedade brasileira. A decoração interior traduz o ecletismo que dominou as artes no Brasil no final do século XIX e início do XX, como reflexo de uma sociedade em transformação.

Reformas

A Casa de Rui Barbosa passou por 11 meses de reforma, que contou com recuperação de elementos artísticos da fachada, limpeza das tapeçarias e implantação de um novo projeto de paisagismo no jardim, que ganhou novos bancos e iluminação. Novas plantas foram realocadas para cobrir a estrutura de

O museu (no alto) e o jardim (acima) da Casa de Rui Barbosa passaram por reformas (Fotos: Ivo Gonzalez/FCRB)

madeira do parreiral, o canteiro de rosas foi reativado, lagos foram restaurados e já se encontram com peixes e animais que frequentemente visitam a maior área verde do bairro de Botafogo.

Segundo Aparecida Rangel, museóloga da Casa de Rui Barbosa, em média 400 pessoas visitam o local todos os dias. “De manhã é mais comum a visitação de crianças, no horário de almoço muitos trabalhadores aparecem para descansar e, no fim de tarde, muitos idosos vêm para fazer caminhadas”, conta

Rui Barbosa

Rui Barbosa nasceu na Bahia, em 1849, e mudou-se para o Rio de Janeiro em 1879, quando foi eleito para a Assembleia Legislativa da Corte Imperial. Foi também orador, jurista, jornalista e abolicionista. Presidiu a Academia Brasileira de Letras após a morte de Machado de Assis, de 1908 a 1919. Conheça mais sobre esta grande personalidade brasileira.

Serviço

Jardim: Está aberto à visitação pública diariamente das 8h às 18h. Na última terça-feira do mês é possível a visitação noturna, até às 19h30.

Museu: de 3ª a 6ª feira, das 10 às 18h, com a última entrada 30 minutos antes do fechamento. Na última terça-feira do mês é possível a visitação noturna, até às 19h30. A entrada é franca.

Mais informações:
Telefone: 21.3289-8686
E-mail: museu@rb.gov.br

Fonte: ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Museu das Missões é reaberto pelo MinC após recuperação de danos causados por tornado

O Ministério da Cultura investiu mais de R$1,68 milhão na recuperação das estruturas do Museu das Missões (Foto: Divulgação Museu das Missões)

O Museu das Missões, localizado em São Miguel das Missões (RS), será reaberto ao público em sua integralidade, após ter sido atingido por um tornado e fortes chuvas em abril de 2016. A intempérie climática provocou danos a suas instalações físicas e parte de seu acervo, o que fechou as portas do Pavilhão Lúcio Costa do Museu desde então. Os presidentes do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Marcelo Araújo, e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), Katia Bogeá, participam da cerimônia de reabertura do museu.

O trabalho de recuperação do museu administrado pelo Ibram foi realizado em parceria pelas instituições vinculadas ao Ministério da Cultura. As obras emergenciais foram contratadas e fiscalizadas pelo Iphan, com recursos do Fundo Nacional de Cultura (FNC). Foram mais de R$1,68 milhão investidos na recuperação das estruturas que incluem a Casa do Zelador, Pavilhão Lucio Costa e Sacristia Velha do Sítio Histórico de São Miguel Arcanjo. Com a força dos ventos, a cobertura do edifício foi fortemente comprometida, com destelhamento, deslocamento e desalinhamento de peças de madeira, além de ter comprometido parcela do acervo.

Com a reabertura do Museu, será apresentada uma exposição com a contextualização do que ocorreu no local há mais de um ano, contando como o acervo e o próprio edifício foram afetados pelo tornado. Uma das salas de exposição foi reservada para mostrar aos visitantes o processo em curso de tratamento das peças e recuperação do acervo atingido.

Missões Jesuíticas no Brasil

São Miguel das Missões foi o local de uma das missões jesuíticas que compreendiam os 30 povos indígenas entre Brasil, Argentina e Paraguai durante a colonização portuguesa e espanhola. Em 1937, o arquiteto Lucio Costa foi enviado ao Rio Grande do Sul para analisar os remanescentes dos Sete Povos das Missões e a visita resultou no tombamento, pelo Iphan, em 1938, dos remanescentes das Missões. No mesmo ano, o sítio arqueológico de São Miguel foi declarado Patrimônio Mundial Cultural pela Unesco e, em 2009, foi criado o Parque Histórico Nacional das Missões, que reúne os sítios arqueológicos de São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir, São Nicolau e o de São João Batista.

O Iphan também inscreveu, em 2014, o bem imaterial Tava, Lugar de Referência para o Povo Guarani, no Livro de Registro de Lugares. A Tava Miri São Miguel Arcanjo é entendida como lugar de importância e referência cultural, pois converge significados e sentidos atribuídos pelo povo indígena Guarani-Mbyá ao sítio histórico que abriga os remanescentes da antiga Redução Jesuítico-Guarani de São Miguel Arcanjo.

As Missões Jesuíticas Guaranis – um sistema de bens culturais transfronteiriços em território do Brasil e da Argentina – compõem-se de um conjunto de remanescentes dos povoados implantados em área originalmente ocupada por indígenas, durante o processo de evangelização promovido pela Companhia de Jesus nas colônias da Coroa Espanhola na América, durante os séculos XVII e XVIII. Representam importante testemunho da ocupação do território e das relações culturais que se estabeleceram entre os povos nativos, na maioria da etnia Guarani, e missionários jesuítas europeus.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura, com informações do Ibram e Iphan

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Museus brasileiros contam suas memórias em programação especial

19.09.2017 – 15:05

A cultura floresce em 932 instituições pelo País na 11ª Primavera dos Museus, para comemorar o início da estação. Durante toda a semana, o público poderá conferir 2,5 mil atividades da temporada de eventos, coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), vinculado ao Ministério da Cultura (MinC).

“O Ibram tem hoje mais de 3,7 mil museus mapeados no Brasil. Cada um carrega consigo histórias, contextos, objetivos e memórias. A Primavera dos Museus em 2017 quer dar visibilidade a esses processos”, esclarece Marcelo Araujo, presidente do Ibram, sobre o tema escolhido para esta edição.

As narrativas da memória e histórias de cada uma das instituições serão apresentadas ao público em diversas dinâmicas. O tema Museus e Suas Memórias inspira os museus do País a fortalecerem seus laços com a comunidade local. Segundo o Ibram, a ideia é ‘olhar para dentro’ e refletir, junto com as populações, sobre os processos e resultados de sua própria constituição e produção.

O convite foi bem aceito pelos museus e demais instituições, já que a 11ª edição recebeu o maior número de participantes desde a criação da Primavera dos Museus, em 2007. São 932 instituições em 417 cidades de 25 estados e do Distrito Federal com programação especial até o próximo domingo (24). Na série histórica, entre 2007 e 2016, houve um crescimento de 15% no número de instituições participantes.

Ao abordar a relação do museu com suas memórias, o Ibram também destaca a criação da primeira instituição museal do Brasil, o Museu Nacional/UFRJ no Rio de Janeiro (RJ), que completará 200 anos em 2018.
Confira a programação

O guia online traz a programação com todos os eventos cadastrados. O visitante pode encontrar atividades por estado, cidade, museu ou palavra-chave por meio de um sistema de busca rápida.

A programação ainda está disponível em formato de publicação digital.

As dúvidas sobre a 11ª Primavera dos Museus podem ser enviadas para o endereço eletrônico primavera@museus.gov.br.

Fonte: ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

24.8.2017 – 14:27
Termina nesta quinta-feira (24) o prazo das inscrições para a seleção de projetos artísticos de circo, dança e teatro para ocupação de espaços cênicos da Fundação Nacional de Artes (Funarte) em Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP). As inscrições foram abertas em julho por meio de editais.
Na capital paulista, as atrações serão realizadas nas salas Carlos Miranda (teatro) e Renée Gumiel (dança) – ambas no Complexo Cultural Funarte SP – e também no Teatro de Arena Eugênio Kusnet (teatro). No Rio de Janeiro, as atividades ocorrerão nos teatros Dulcina (circo, dança e teatro), Glauce Rocha (teatro) e Cacilda Becker (dança). Em Belo Horizonte (MG), a ocupação será no Galpão 3 (circo, dança e teatro). Os espaços estarão disponíveis para apresentações, mostras, oficinas, debates, seminários, entre outras programações ligadas às artes cênicas, em dois períodos diferentes, opcionais: outubro e novembro e novembro a dezembro de 2017.

Resultado final

A Funarte divulgou, nesta quinta-feira (24), o resultado final do Projeto de Ocupação dos Espaços de Música na Funarte em Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro (RJ) e São Paulo (SP). Confira os selecionados.
O projeto de programação de apresentações nas salas da entidade, nesta edição, traz uma pauta que abarca o panorama da diversidade musical brasileira. A agenda será dividida por temas, cada um deles apresentado em um dia da semana. Além disso, haverá programação voltada para o público infantil.
São eles: o Funarte em Concerto, que apresentará as várias formações instrumentais e corais característicos dessa linguagem; o Funarte Plural, com grupos da cena independente e contemporânea; e o Funarte de Ritmos, que mostrará a grande diversidade rítmica brasileira.
Fonte:ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrições abertas para a 11ª Primavera dos Museus
26.7.2017 – 15:31
A preparação dos museus brasileiros para a estação mais florida do ano já começou. Estão abertas até 14 de agosto as inscrições para a 11ª Primavera dos Museus, ação coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC). A Primavera dos Museus ocorre todos os anos no início da estação homônima. 11-primavera-museus-interna
Museus e outras instituições culturais podem inscrever atividades que proporcionem à sociedade a reflexão e a discussão sobre museus e suas memórias, tema da edição deste ano. De 18 a 24 de setembro, os museus participantes realizarão programação especial, com seminários, exposições, oficinas, visitas monitoradas e exibições de filmes, entre outras.
A inscrição deve ser feita exclusivamente por meio de preenchimento do formulário eletrônico disponível neste link. Mesmo que o museu tenha participado de outras edições da Primavera dos Museus ou da Semana Nacional de Museus, é necessário realizar nova inscrição. Pelo formulário, também devem ser inscritas as atividades a serem realizadas pela instituição cultural. A efetiva participação do museu apenas é confirmada com a inscrição de um ou mais eventos.
Para mais informações, entre em contato com o Ibram pelos telefones (61) 3521-4135 / (61) 3521-4142 ou pelo email primavera@museus.gov.br
Fonte: ASCOM MinC