Você está aqui:
Meta 11 – Aumento em 95% no emprego formal do setor cultural

11Aumento em 95% no emprego formal do setor cultural.
Criar mais de 1,3 milhão de empregos formais no setor cultural

A maioria dos trabalhadores da cultura não tem emprego formal, com registro em carteira ou mesmo outro tipo de contratação.

Os trabalhadores da cultura podem ser artistas, técnicos, produtores e muitos outros. As atividades reconhecidas do setor cultural estão na lista da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) criada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

 


Como esta meta está sendo medida

Pelo número de empregos formais de acordo com dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do Ministério do Trabalho e Emprego, num recorte para o setor cultural que utiliza as atividades culturais que constam no Sistema de Informações e Indicadores Culturais (2007) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ressalta-se que houve alteração na fórmula de cálculo da situação da meta em 2010, o que acarretou a mudança no quantitativo de empregos formais no setor da cultura naquele ano.


Situação da meta

Os dados apresentados, tiveram um decréscimo se comparados aos anos anteriores, sendo que o aumento, comparado ao ano de 2010, foi de apenas 0,3% – que equivale a um aumento de apenas 4.612 trabalhadores. Além disso, cabe esclarecer que houve uma redefinição das atividades econômicas consideradas para a aferição da meta, pois, a partir de 2013, o Sistema de Informações e Indicadores Culturais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) passou a definir as atividades econômicas do setor cultural com referência no CNAE 2.0  (Cadastro Nacional de Atividades Econômicas). Anteriormente, a meta era aferida por meio do CNAE 95

Obs.: houve alteração nos valores do histórico apresentados anteriormente, pois a extração das informações são obtidas por meio da CNAE 2.0 e antes era aferida por meio da CNAE 95

Fonte: Relação Anual de Informações Sociais  (RAIS)

Data de atualização: 06/11/2017

Fonte: Relação Anual de Informações Sociais  (RAIS)


O que foi feito em 2016 para alcançar esta meta

O Ministério da Cultura deu início ao desenvolvimento do Atlas Econômico da Cultura Brasileira, uma ferramenta para o setor cultural compreender a real dimensão do mercado no que se refere aos diversos segmentos da cultura. No que tange à análise e ao dimensionamento do mercado de trabalho, o Atlas visa contribuir com a geração de indicadores e dados relevantes sobre o emprego e suas características para o setor cultural. A proposta é apresentar dados estatísticos que forneçam um quadro abrangente do mercado de trabalho cultural no Brasil de forma que esses dados,  mensurações e  tendências mostradas ajudem a redefinir o escopo de setores e atividades econômicas relacionadas à cultura.

Saiba mais:

 


Veja todas as metas que também estão nos temas : 
Ver mais metas marcadas com as tags: 

Notícias Relacionadas

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *