Você está aqui:
Cursos fortalecem identidade cultural negra

A implantação de Núcleos de Formação de Agente Cultural da Juventude Negra (Nufac) é uma ação da Fundação Cultural Palmares (FCP). A iniciativa permite a formação de jovens negros para o mercado de cultura. Dentro do projeto, nesta sexta-feira, 17 de novembro, alunos do curso de extensão Assistente em Design e Produção de Moda com Referência à Matriz Africana recebem seus certificados de conclusão. A cerimônia será às 15h30, no Campus do Instituto Federal de Brasília (IFB) de Taguatinga.

O projeto conta com parceria do IFB. A colaboração com a Fundação Palmares têm objetivo de fortalecer a identidade das populações com risco de perda de suas tradições. Neste caso, o curso foca nas manifestações de matriz africana, com suas roupas, instrumentos e objetos de representação simbólica cultural e religiosa. Para a Fundação Palmares, a formação de jovens negros em cultura, além de uma oportunidade profissional, pode prevenir vulnerabilidades e promover o resgate da cultura afro-brasileira.

Fonte: Fundação Cultural Palmares

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

Comissão de Diversidade Cultural do Mercosul se reúne em Olinda

Olinda (PE) sedia, nesta segunda (13) e terça-feira (14), a VII Reunião da Comissão de Diversidade Cultural do Mercosul. Durante o evento, representantes de países do bloco debaterão linhas de ação para o Plano Estratégico do Mercosul, a Política Nacional de Cultura Viva e seu impacto na América Latina, a contribuição da Cultura nas políticas afirmativas de gênero e o papel da cultura nas zonas de fronteiras.

Representantes do Ministério da Cultura brasileiro apresentarão aos participantes uma revista digital sobre políticas públicas relacionadas à diversidade cultural. O projeto “Cadernos da Diversidade Cultural”, realizado em parceria com o Ministério da Cultura da Argentina, é piloto no âmbito da comissão e pretende ser um espaço de discussão e de troca de experiências sobre diversidade cultural.

Para a primeira publicação da revista, o tema escolhido foram as questões de gênero. A revista digital será semestral e terá uma temática diferente a cada edição.

Além dos debates, os participantes da VII Reunião da Comissão de Diversidade Cultural do Mercosul vão visitar o sítio histórico de Olinda (PE), um ponto de cultura, o Museu Cais do Sertão e o Paço do Frevo, no centro de Recife (PE).

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

MinC divulga resultado de habilitação do Prêmio Culturas Populares

Dois mil cento e sessenta e um candidatos, de todos os estados do Brasil, foram habilitados para concorrer à 5º edição do Prêmio Culturas Populares – Leandro Gomes de Barros. A habilitação foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira (28/9). Lançado em junho deste ano pelo Ministério da Cultura (MinC), por meio da Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural (SCDC), o edital irá premiar 500 iniciativas que fortaleçam as expressões culturais populares brasileiras. O edital ainda alcançou o maior número de inscrições em seleções públicas já lançadas pela SCDC: ao todo, entre habilitados e inabilitados, foram 2862. 

“Defendemos muito a construção e a viabilização deste edital porque o Prêmio é um reconhecimento do trabalho, do legado, da vida dedicada e do valor artístico desses mestres, grupos e coletivos de culturas populares”, afirmou a secretária da Cidadania e da Diversidade Cultural do MinC, Débora Albuquerque. “Poder chegar na ponta e fomentar os fazedores de cultura é um dos nossos objetivos”, completou.

De acordo com Débora, as diversas formas de inscrição oferecidas pelo MinC – com menos burocracia – possibilitaram o número recorde de inscritos. Os candidatos puderam se inscrever de forma online, por correio, vídeo ou gravação. Além disso, o MinC ainda fez parcerias com as suas Representações Regionais do MinC e com a Empresa Brasil de Comunicação (EBC).
“O sucesso desse edital se deve às diversas formas de inscrição, o pessoal da equipe da SCDC foi muito sensível a esse quesito. Foi também um edital que, apesar de todas as burocracias, reduziu ao máximo as exigências de documentação”, avaliou a secretária.

Sobre o edital

O objetivo da iniciativa é fortalecer as expressões culturais populares brasileiras, retomando práticas populares em processo de esquecimento e que difundam as expressões populares para além dos limites de suas comunidades de origem. Exemplos dessas iniciativas são o Cordel, a Quadrinha, o Maracatu, o Jongo, o Cortejo de Afoxé, o Bumba-Meu-Boi e o Boi de Mamão, entre outros. Só não estão incluídas Culturas Indígenas, Culturas Ciganas, Hip Hop e Capoeira, por já serem objeto de editais específicos lançados pelo MinC. Este foi o primeiro edital de cultura popular lançado pelo MinC desde 2012. Também foi o maior em número de premiações. Neste ano, a premiação fez homenagem ao cordelista paraibano Leandro Gomes de Barros (1865-1918).

Habilitação

Do total de inscritos, foram 1336 mestres, 961 grupos sem CNPJ, 483 entidades e 82 mestres in Memorian. Desse total, foram habilitados 1034 mestres, 760 grupos sem CNPJ, 331 entidades e 36 mestres em Memorian. Representantes de todos os 26 estados e da unidade federativa do Distrito Federal se inscreveram no Prêmio. Os estados com mais inscritos foram: Pernambuco (301), Minas Gerais (286), Bahia (283), São Paulo (282), Rio de Janeiro (240), e Maranhão (150).

Após a habilitação, uma comissão de seleção e avaliação irá avaliar o mérito das propostas. Entre os critérios analisados estão: contribuição sociocultural que o projeto proporciona às comunidades; melhoria da qualidade de vida das comunidades a partir de suas práticas culturais; e impacto social e contribuição da atuação para a preservação da memória e para a manutenção das atividades dos grupos, entre outros.

Recursos

Os 701 interessados a concorrer ao Prêmio que foram inabilitados poderão interpor recursos em até cinco dias corridos a partir da publicação do DOU. O prazo segue, então, até 2 de outubro. Os candidatos deverão preencher e enviar o formulário por email (preferencialmente) ou pelos correios – indicar o assunto Edital de Seleção Pública n.º 01, de 29/05/2017,
Edital Culturas Populares – Edição Leandro Gomes de Barros. Documentos anexos que não forem enviados no prazo estipulado não serão considerados.

Email para envio do formulário: coedi@cultura.gov.br

Endereço para envio do formulário:
Setor Hoteleiro Sul – Quadra 02, Bloco “B”, Ed. TELEX – Térreo
Caixa Postal: 8591
Brasília/DF – CEP 70.312-970

Fonte: ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

IberCultura Viva abre inscrições para Edital de Mobilidade

06.09.2017 – 17:25

O programa IberCultura Viva está com inscrições abertas, até 1º de outubro, para o Edital de Mobilidade 2017. A seleção é dirigida às organizações interessadas em participar do 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária, que será realizado de 20 a 25 de novembro, em Quito (Equador). Será destinado um total de US$ 45 mil para a compra de passagens aéreas. O evento é organizado pela Rede de Cultura Viva Comunitária do Equador e tem como um de seus principais objetivos trabalhar o “Ser comunitário”.

Poderão participar do edital representantes de organizações/coletivos que trabalham com cultura de base comunitária nos países membros do Conselho Intergovernamental IberCultura Viva: Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, El Salvador, Espanha, México, Peru e Uruguai. Cada organização/coletivo poderá apresentar uma pessoa candidata.

Serão levados em conta na avaliação a experiência da organização em ações culturais comunitárias e o histórico de participação em processos de articulação de redes em âmbito nacional e/ou internacional, além do perfil da pessoa candidata.

O formulário de inscrição deverá ser completado exclusivamente online, incluindo o envio de anexos, e não serão aceitas apresentações que tenham data de chegada anterior a 19 de novembro e data de regresso posterior a 26 de novembro de 2017. As inscrições, abertas na última segunda-feira (4), terminam em 1º de outubro, às 23h59, considerando o horário oficial de Buenos Aires, Argentina (atualmente, o mesmo de Brasília). O resultado final será divulgado no dia 10 de outubro.

Passagens + inscrição

Os selecionados pelo edital receberão a passagem de ida e volta, o seguro de viagem e a taxa de inscrição para o congresso. As pessoas selecionadas ainda poderão fazer uso do espaço de camping e participar das comidas comunitárias incluídas na inscrição, ou resolver sua hospedagem e alimentação por seus próprios meios. O Edital de Mobilidade não inclui hospedagem, nem alimentação.

A rede organizadora do congresso tem prevista uma área para acampamento e alimentação comunitária. Também facilitará o acesso a hotéis que se encontram a 2km do lugar onde serão desenvolvidas as atividades centrais do evento. O custo dos hotéis não está incluído na taxa de inscrição.

Existem duas modalidades de inscrição para o 3º Congresso Latino-americano de Cultura Viva Comunitária: os que pagam US$ 35 têm acesso às atividades e os que pagam US$ 70 têm acesso às atividades, à zona de camping e à alimentação. O programa IberCultura Viva pagará a modalidade de inscrição que inclui camping e alimentação. Consultas sobre o edital podem ser feitas pelo e-mail programa@iberculturaviva.org.

Fonte:

Teresa Albuquerque
Programa IberCultura Viva
Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

Projeto com quilombos de Minas Gerais recebe prêmio do Iphan

31.8.2017 – 11:40

Projeto premiado pelo Iphan registrou manifestações culturais preservadas em comunidades quilombolas de Minas Gerais (Foto: Secretaria de Cultura de Minas Gerais)

O projeto Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória, realizado em 60 comunidades quilombolas do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, foi escolhido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), como um dos oito vencedores da 30ª Edição do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, principal premiação do patrimônio cultural do Brasil.

Neste ano, a premiação homenageia os 80 anos do Iphan, uma das mais longevas instituições públicas do Brasil e a primeira dedicada à preservação do patrimônio cultural na América Latina. Divididos em quatro categorias, os projetos foram selecionados durante a reunião da Comissão Nacional de Avaliação, nos últimos dias 21 e 22 de agosto. Ao todo, participaram 296 ações de preservação do patrimônio e da cultura nacional, de todos os estados brasileiros. Oito venceram. As ações ganhadoras vieram dos estados de Minas Gerais, Amapá, Ceará, Pernambuco, Rio Grande do Sul e São Paulo.

A equipe de documentaristas do projeto Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória, realizado pela Nota Musical Comunicação e Mirar Lejos, percorreu, ao longo de três anos, 60 comunidades quilombolas dos municípios de Berilo, Chapada do Norte, Minas Novas e Virgem da Lapa. Mais de 1,2 mil pessoas participaram, cantando, dançando e rememorando suas histórias e a de seus antepassados.

O projeto registrou as manifestações culturais preservadas nessas comunidades, em festas tradicionais (algumas realizadas há mais de 200 anos), encontros e apresentações marcadas especialmente para esses registros. Foram captadas cerca de 150 horas em vídeo, entrevistas e manifestações culturais, além de um grande acervo fotográfico. O resultado foi um livro fartamente ilustrado, 30 vídeos de curta-metragem, um banco de imagens e um portal com todo o material disponível gratuitamente.

Exposição

O material fruto do premiado projeto Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música e Memória também se transformará em uma exposição, que será aberta ao público, em Brasília, no início de novembro, em homenagem ao Mês da Consciência Negra. A exposição Quilombos do Vale do Jequitinhonha: Música, Memória e Resistência contará com o apoio da Fundação Cultural Palmares, instituição vinculada ao MinC.

Fonte: Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

Regional promove oficinas do Prêmio Culturas Populares
31.07.2017 – 18:45

A Representação Regional do Ministério da Cultura (MinC) em São Paulo está engajada na divulgação do Prêmio Culturas Populares Leandro Gomes de Barros, cujo prazo de inscrição foi prorrogado por um mês, até 28 de agosto. Nas últimas semanas, foram realizadas oficinas para tirar dúvidas sobre os procedimentos de inscrição nos municípios de Guarujá (20/7), Taubaté (22/7) e São Luiz do Paraitinga (27/7), além da própria capital (28/7).

Oficina em Guarujá (acima) ainda contou com a participação da Representante Regional, Haifa Madi (capa) (Foto: Ascom MinC Regional São Paulo)

Pelo menos mais três encontros estão sendo planejados: em Carapicuíba, em Guarulhos e em Hortolândia, ainda sem data marcada. A última oficina ocorreu na cidade de São Paulo, na sexta-feira (28/7), na União dos Cantadores, Repentistas e Apologistas do Nordeste.
A chefe da Representação Regional em São Paulo, Haifa Ali Abdul Rahim Madi, foi ao Guarujá, acompanhada pelo assessor Henry Durante. “Está havendo uma ampla mobilização dos grupos e das comunidades de cultura popular. Faz muita diferença quando a gente vai às cidades. Vamos demonstrar que São Paulo é o berço de muitas culturas”, diz Durante.
A equipe esteve também em Mogi das Cruzes (12/7), Sorocaba (15/7) e São Sebastião (18/7).
A 5ª Edição do Prêmio Culturas Populares vai agraciar 500 iniciativas, com R$ 10 mil cada. Trata-se do primeiro edital de cultura popular lançado pelo Ministério da Cultura desde 2012 e o maior em número de premiações.
O Prêmio busca fortalecer expressões culturais populares brasileiras, como o Cordel, a Quadrilha, o Maracatu, o Jongo, o Cortejo de Afoxé, o Bumba-Meu-Boi e o Boi de Mamão, entre outros. Culturas Indígenas, Culturas Ciganas, Hip Hop e Capoeira ficaram de fora, por já serem objeto de editais específicos do MinC.
As inscrições podem ser feitas pela internet ou por via postal. Quem for se inscrever pelo correio deve endereçar a correspondência da seguinte forma:
Edital de Seleção Pública n.º 01, de 29/05/2017
Edital Culturas Populares – Edição Leandro Gomes de Barros
Setor Hoteleiro Sul – Quadra 02, Bloco “B”, Ed. TELEX – Térreo
Caixa Postal: 8591
Brasília/DF – CEP 70.312-970