Você está aqui:
CEUs de quatro cidades serão beneficiados pelo Fundo Internacional da Diversidade Cultural

Centros de Artes e Esporte Unificados (CEUs) de quatro municípios brasileiros – Toledo (PR), Embu das Artes (SP), Serra Talhada (PE) e Macapá (AP) – serão beneficiados por projeto do Fundo Internacional da Diversidade Cultural da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O projeto, elaborado por uma equipe de profissionais do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), tem o apoio do Ministério da Cultura (MinC) e foi um dos sete selecionados pelo fundo, juntamente com iniciativas da sociedade civil e instituições governamentais de outros países. Serão repassados ao Cebrap US$ 91 mil. 

Essa linha de financiamento do Fundo da Diversidade Cultural da Unesco busca promover o desenvolvimento sustentável e a redução da pobreza em países em desenvolvimento, com foco na diversidade cultural. Para o secretário de Infraestrutura Cultural do MinC, Alfredo Bertini, os CEUs realizam exatamente esse trabalho. “São centros que integram, em um mesmo espaço, programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação profissional, além de serviços socioassistenciais e políticas de prevenção à violência e de inclusão digital, com o objetivo de promover a cidadania em territórios de alta vulnerabilidade social. Ou seja, comungamos o mesmo objetivo”, destaca.

A proposta do Cebrap neste projeto é trabalhar com a capacitação de agentes culturais locais nos CEUs, com foco na economia da cultura e no fortalecimento de redes e cadeias locais da cultura. A ideia é que esses que agentes se tornem multiplicadores em suas regiões.

Em cada Praça CEU, haverá uma etapa de alinhamento da agenda e da estratégia com os Grupos Gestores e a coordenação-geral e, depois, o desenvolvimento dos cursos de capacitação para fomento das cadeias da cultura, com conteúdo teórico e prático. O projeto tem duração total prevista de 18 meses, de março de 2018 a agosto de 2019. A Secretaria de infraestrutura Cultural do MinC acompanhará todo o desenvolvimento do projeto e participará da articulação com os CEUs.

“A realização de cursos de capacitação para formar agentes socioculturais em CEUs estrategicamente selecionados reforçará as boas práticas e resultados. O fortalecimento de agentes e redes locais com foco na economia da cultura tende a reforçar a diversidade e a qualidade dos serviços socioculturais oferecidos nos centros, bem como as possibilidades de sustentabilidade dos equipamentos em si, além de fomentar a geração de renda para as comunidades”, destaca Bertini.

Mapear e capacitar

Segundo a coordenadora-geral do projeto, Maria Carolina Vasconcelos, o trabalho vai envolver diretamente os responsáveis pela gestão dos CEUs nas atividades de formação e de diagnóstico das necessidades locais e, com isso, ajudar a construir – e em alguns casos fortalecer – uma rede de interação entre esses equipamentos e a comunidade cultural local, bem como ampliar as informações e o conhecimento que esses equipamentos possuem sobre as cadeias de produção cultural local.

“Produzir e organizar conhecimento que sirva de insumo para as políticas públicas é algo que o Cebrap vem fazendo há décadas, e notamos que isso melhora a capacidade de ação dos gestores e a efetividade das políticas”, frisa Carolina. “Nesse sentido, a parceria e a interlocução com as equipes locais dos CEUs nas quatro cidades é fundamental. Vale lembrar que a articulação e a interação sistemáticas com as comunidades culturais locais é uma das diretrizes do projeto dos CEUs”, completa.

A equipe do Cebrap estima que, em cada cidade, cerca de 40 atores culturais – entre atores públicos e da sociedade civil, preferencialmente gestores dos CEUs, de prefeituras locais e de outros equipamentos público – participem das atividades. Haverá ainda um treinamento específico de cinco representantes de cada região, da sociedade civil, que trabalharão como multiplicadores de conhecimento locais de forma remunerada e serão centrais no levantamento de informações para compor o diagnóstico e o mapeamento de cada região. “A ideia é que esses atores, depois, possam continuar atuando como articuladores no desenvolvimento das cadeias de produção local e fomentando a participação da sociedade civil na formulação de agendas de políticas de cultura locais”, explica Carolina.

Critérios de seleção

Os CEU de Serra Talhada (no alto) e Macapá (acima) estão entre os contemplados pelo projeto do Cebrap (Fotos: Divulgação e Prefeitura Municipal da Macapá)

Os critérios de seleção dos municípios foram amplos e levaram em conta principalmente a diversidade dos cenários culturais em questão. “Temos cidades de perfis bem diferentes: Embu das Artes (SP) é tradicionalmente conhecida pelas atividades artesanais, mas também faz parte da periferia da maior região metropolitana do país e apresenta uma produção forte no que hoje vem sendo conhecido como “cultura periférica”. Toledo (PR) apresenta uma mistura entre as representações de “cultura universitária” e de “cultura rural”, além de estar próxima às fronteiras entre Brasil, Paraguai e Argentina, o que também traz uma característica de interculturalidade. Macapá (AP) mistura os atributos de uma pequena capital, com suas culturas mais centrais e mais periféricas, e uma forte presença de culturas indígenas. Já Serra Talhada (PE) traz a presença das culturas tradicionais e populares, com mecanismos específicos de organização e transmissão, e que enfrentam questões decorrentes da difusão de conteúdos mais massivos ou industriais, do crescimento da adesão a meios como a internet, por exemplo”, justifica Carolina.

Outros contemplados

Além do projeto brasileiro, o Fundo Internacional da Diversidade Cultural da Unesco selecionou mais seis projetos, sendo dois transnacionais da América Latina: o projeto de México e Guatemala chamado Empreendedores pela Diversidade, e o projeto de Colômbia, Bolívia, Equador, México, Peru e Uruguai, denominado Apropriação, Reforço e Promoção do Cinema Latino-Americano por meio da plataforma regional Retina Latina. Também foram escolhidos projetos de Montenegro, Ucrânia, Albânia e Senegal.

Fonte: Heli Espíndola, ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MinC inaugura Praça CEU em Ubá, em Minas Gerais

O Ministério da Cultura (MinC) investiu R$ 2,02 milhões no CEU de Ubá (Foto: Divulgação)

Em um único lugar, aberto à população, programas e ações culturais, esportivas, educacionais, socioassistenciais e de lazer. Esse é o retrato de um Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), programa do governo federal coordenado pelo Ministério da Cultura (MinC). Nesta terça-feira (29), uma unidade do CEU foi inaugurada no município de Ubá, em Minas Gerais, em parceria com a prefeitura local. Com a inauguração do espaço, chegam também atividades gratuitas a serem oferecidas à comunidade da região.

O Ministério da Cultura (MinC) investiu R$ 2,02 milhões no centro. O CEU de Ubá se une a outros 19 já inaugurados em Minas Gerais. São escolhidos para instalação dos CEUs territórios de alta vulnerabilidade social.

O CEU de Ubá está instalado em uma estrutura de três mil metros quadrados. Serão oferecidas atividades em todos os espaços disponíveis do equipamento: oficinas e workshops nas salas multiuso e multimídia, na biblioteca e no cineteatro e atividades de esporte e lazer na quadra poliesportiva, pista de skate e pista de caminhada.

Ao ser inserido na comunidade, o centro promove benefícios como a ampliação do acesso a direitos sociais, impulsionando a formação de grupos e aumentando as possibilidades de interação, criação de vínculos, troca de saberes e conversas. A integração da comunidade é estimulada pela própria infraestrutura do espaço, cuja configuração – paredes de vidro etc. – é convidativa para que quem esteja de fora perceba as atividades e movimentações de dentro e se sinta chamado a interagir. Ao redor da praça, normalmente é possível perceber a instalação de novos comércios, a movimentação da economia local, a formação e aproximação dos grupos e coletivos da comunidade.

Participaram da inauguração o secretário de Infraestrutura Cultural do MinC, Alfredo Bertini, e o diretor do Departamento de Projetos de Infraestrutura Cultural, Paulo Edy Nakamura.

Sobre os CEUs

Programa do governo federal criado em 2010, os Centros de Artes e Esportes Unificados ou Praças CEUs fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) no Eixo Comunidade Cidadã. Cabe ao Ministério da Cultura (MinC) a gestão e a coordenação da implementação desses espaços pelo Brasil. Depois de inaugurados, a gestão do local fica a cargo de um comitê composto por representantes do Poder Público municipal, da sociedade civil organizada (ONGs e Pontos de Cultura) e de moradores do local.

Fonte: ASCOM  MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Governador Valadares (MG) ganha Praça CEU nesta sexta
Em um único lugar, aberto à população, programas e ações culturais, esportivas, educacionais, socioassistenciais e de lazer. Esse é o retrato de um Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), programa do governo federal coordenado pelo Ministério da Cultura (MinC). Nesta sexta (17), uma unidade do CEU será inaugurada no município de Governador Valadares, em Minas Gerais, em parceria com a prefeitura local. Com a inauguração do espaço, chegam também atividades gratuitas a serem oferecidas à comunidade da região.

O CEU de Governador Valadares está instalado em uma estrutura de três mil metros quadrados (Foto: Prefeitura de Governador Valadares)

Entre os presentes à cerimônia de inauguração está o secretário de Infraestrutura Cultural do MinC, Alfredo Bertini. O Ministério da Cultura investiu R$ 2,02 milhões no centro. O CEU de Governador Valadares se une a outros 18 já inaugurados em Minas Gerais. São escolhidos para instalação dos CEUs territórios de alta vulnerabilidade social.
O CEU de Governador Valadares está instalado em uma estrutura de três mil metros quadrados, que inclui dois edifícios multiuso, dispostos numa praça de esportes e lazer; salas multiuso; biblioteca; telecentro; cineteatro/auditório com 60 lugares; quadra poliesportiva coberta; pista de skate; equipamentos de ginástica; playground e pista de caminhada, além de um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS).
Ao ser inserido na comunidade, o centro promove benefícios como a ampliação do acesso a direitos sociais, impulsionando a formação de grupos e aumentando as possibilidades de interação, criação de vínculos, troca de saberes e conversas. A integração da comunidade é estimulada pela própria infraestrutura do espaço, cuja configuração – paredes de vidro etc. – é convidativa para que quem esteja de fora perceba as atividades e movimentações de dentro e se sinta chamado a interagir. Ao redor da praça, normalmente é possível perceber a instalação de novos comércios, a movimentação da economia local, a formação e aproximação dos grupos e coletivos da comunidade.
Sobre os CEUs
Programa do governo federal criado em 2010, os Centros de Artes e Esportes Unificados ou Praças CEUs fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) no Eixo Comunidade Cidadã. Cabe ao Ministério da Cultura (MinC) a gestão e a coordenação da implementação desses espaços pelo Brasil. Depois de inaugurados, a gestão do local fica a cargo de um comitê composto por representantes do Poder Público municipal, da sociedade civil organizada (ONGs e Pontos de Cultura) e de moradores do local.
Fonte: ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Serra Talhada, em Pernambuco, sedia ativação de Praças CEUs

25.10.2017 – 11:56

Serra Talhada, em Pernambuco, sediará quarta edição do Encontro de Ativação Regional das Praças CEUs 2017

O município de Serra Talhada, no interior de Pernambuco, sedia, nesta quinta-feira (26), o IV Encontro de Ativação Regional das Praças CEUs 2017 – os Centros de Artes e Esportes Unificados. O evento, promovido pela Secretaria de Infraestrutura Cultural (Seinfra) do Ministério da Cultura, com organização da Prefeitura Municipal, será realizado das 9h às 18h, na Praça CEU localizada na Avenida Olympio de Menezes Leal, s/n – Bairro da Caxixola. Foram convidados para o evento representantes das 85 praças CEUs dos estados nordestinos.

O encontro de ativação tem como objetivo apoiar as equipes técnicas de prefeituras, gestores e comunidades na condução da mobilização social, ocupação, gestão e da infraestrutura das Praças CEUs. Além disso, há troca de experiências entre representantes de CEUs já ativos, disseminação de informações sobre o funcionamento e a manutenção do espaço, interação com a comunidade e apresentações culturais e esportivas, entre outras atividades.

O quinto Encontro de Ativação Regional das Praças CEUs 2017 está previsto para ocorrer no dia 9 de novembro, em Feira de Santana (BA).

O que são os CEUs?

Programa do governo federal coordenado pelo Ministério da Cultura (MinC), os Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs) são unidades instaladas em localidades em territórios de alta vulnerabilidade social em todas as regiões do País. Eles abrigam, em um único espaço, programas e ações culturais, esportivas, educacionais, socioassistenciais e de lazer.

A gestão dos CEUs é compartilhada entre as prefeituras e a comunidade, com a formação de um Grupo Gestor, que fica encarregado de criar um Plano de Gestão, e também conceber o uso e programação dos equipamentos.

Das 336 Praças CEUs previstas, 142 foram inauguradas. Outras 194 estão com obras em andamento.

Texto e Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gestores de 180 CEUs se reúnem até novembro para alinhar gestão

28.8.2017 – 10:22

Os CEUs integram no mesmo espaço programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e de inclusão digital (Foto: Divulgação)

Cinco Centros de Artes e Esportes Unificados (CEUs) irão receber, até o final do ano, encontros com gestores e representantes das comunidades atendidas para nivelar informações de gerenciamento, prestação de contas, condução da mobilização social, ocupação e manutenção da infraestrutura utilizada nas atividades. Participarão das atividades representantes de cerca de 180 CEUs de 10 estados (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul).

Entre os temas abordados durante os encontros estarão a Lei Rouanet, potenciais parcerias, a gestão compartilhada dos CEUs, os processos de prestação de contas e a formação do Grupo Gestor Tripartite, compostos por um terço da sociedade civil, um terço da sociedade civil organizada e um terço do poder público local. Além disso, o evento estimula a criação de uma rede formada por gestores e pelas comunidades envolvidas para troca de experiências sobre os desafios da gestão.

O próximo encontro ocorrerá nesta quinta-feira (31), em Maricá (RJ), e reunirá mais de 30 CEUs convidados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Em outubro, será a vez de 31 CEUs da Bahia e de Sergipe se reunirem na cidade de Feira de Santana (BA), no dia 5; e de outras 47 dos estados do Ceará, Pernambuco e Paraíba se encontrarem no dia 26, no município de Juazeiro do Norte (CE).

Em novembro, serão dois encontros: no dia 9 se reunirão 35 praças CEUs do Paraná e de Santa Catarina, em Pinhais (PR), e no dia 30, em Canoas (RS), 35 praças do Rio Grande do Sul e também de Santa Catarina estarão reunidas.

Sobre os CEUs

Os Centros de Artes e Esportes Unificados, conhecidos como CEUs, integram no mesmo espaço programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e de inclusão digital. O objetivo é promover a cidadania em territórios de alta vulnerabilidade social.

O programa é uma parceria entre União e municípios, em que as prefeituras e a população local formam grupos gestores que criam regras de uso, manutenção e programação dos equipamentos de cultura, entre outras ações. Prevê a instalação de equipamentos sociais de saúde, educação, cultura e segurança pública em todos os estados. Os centros contam com biblioteca, cineteatro (48, 60 ou 125 lugares), laboratório multimídia, salas de oficinas, espaços multiuso, Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), além de pista de skate. Os CEUs maiores (3 mil e 7 mil m²) também contam com quadra de eventos coberta, playground e pista de caminhada.

Ao todo, há 142 CEUs em funcionamento no País. Outros 75 estão em construção e 52 com obras concluídas.

Fonte: ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

MinC inaugura o primeiro CEU do DF

Secretário Raimundo Benoni (terceiro da esquerda para a direita) destacou que o CEU do Recanto das Emas é um “espaço de construção da cidadania”. Governador Rodrigo Rollemberg (à esquerda) também participou da inauguração (Fotos: Janine Moraes/Ascom MinC)

12.6.2017 – 12:34

Os CEUs integram programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços assistenciais, além de políticas de inclusão digital e de prevenção à violência

“A partir de agora, o desafio também é de vocês. Que estejam dispostos a conviver e a compartilhar, para formar aqui uma grande comunidade. Este é um espaço de construção da cidadania e pertence a vocês”. Com essas palavras, o secretário de Infraestrutura Cultural do Ministério da Cultura (MinC), Raimundo Benoni, inaugurou o Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) de Recanto das Emas, na manhã de domingo (10), na presença do governador do Distrito Federal (DF), Rodrigo Rollemberg.

O MinC investiu R$ 2,02 milhões na construção deste CEU, que se soma a 140 já inaugurados desde 2012. Até 2019, devem ser inaugurados outros 190 CEUS pelo País, que estão com obras em andamento. O MinC realiza o acompanhamento das obras e da implantação de um modelo de gestão participativa. Os CEUs integram um programa interministerial do governo federal, com investimento previsto no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O Centro de Artes e Esportes Unificados inaugurado no Recanto das Emas — região administrativa do DF — conta com uma praça de esportes e lazer, dois edifícios multiuso, biblioteca, telecentro, cineteatro/auditório com 60 lugares, quadra poliesportiva coberta, pista de skate, equipamentos de ginástica, playground, pista de caminhada e Centro de Referência em Assistência Social (CRAS).

Espaço da Comunidade

Ao falar para a comunidade local, o secretário de Infraestrutura Cultura do MinC reforçou o papel cidadão do espaço, que integra programas e ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação para o mercado de trabalho, serviços assistenciais, além de políticas de inclusão digital e de prevenção à violência. “É nosso dever garantir o direito à cultura. Tenho certeza de que colocamos à disposição da comunidade um espaço de integração e convivência”, afirmou Benoni.

Moradora da região há 32 anos, Águida Maciel demonstrou grande contentamento em participar do evento: “O espaço é maravilhoso. Sou prefeita comunitária e entendo o valor dessas coisas para a comunidade. Com certeza vamos utilizar para fazer apresentações, dar cursos, oferecer mais cultura”. O grupo Carimbó/Sirimbó do Recanto das Emas, dirigido por Águida, foi um dos escolhidos para se apresentar às autoridades presentes.O dia também contou, das 8h às 22h, com apresentações da Banda de Música do Corpo de Bombeiros, da Ginástica Rítmica da Escola Classe 803, do grupo Carimbó/Sirimbó do Recanto das Emas, do Instituto Batucar e da Capoterapia, entre outros.

Presente na inauguração, o administrador regional, Paulo Roberto, agradeceu a instalação da estrutura no Recanto das Emas: “Para nós, é extremamente importante receber algo que vai ficar pra história da nossa cidade como um equipamento público crucial”. Com uma área de 3.000 metros quadrados, o CEU do Recanto das Emas é o primeiro a ser inaugurado no Distrito Federal.

Para o governador do DF, Rodrigo Rollemberg, o centro é considerado o grande piloto do governo local no tocante à integração de diversas áreas estratégicas. “Temos uma percepção muito clara de que um espaço como este é de integração de políticas públicas e de construção de uma nova consciência, de uma sociedade que respeite e valorize a diversidade”, afirmou o governador. Rollemberg ainda destacou que o CEU inaugura, no seu governo, “um novo modelo de gestão compartilhada”. Ainda neste ano, estão previstas as inaugurações de outros dois CEUs no Distrito Federal, na região administrativa de Ceilândia.

Gestão compartilhada

Um espaço público de encontro, debate e construção de agendas coletivas. Essa é a realidade possível nos CEUs, concebidos para fomentar a mobilização da comunidade local. Nesse sentido, a gestão desses espaços é considerada um ponto crucial. Isso porque, para consolidar a participação social na gestão dos CEUs, os entes federados (municípios) devem constituir Grupos Gestores tripartites, compostos por um terço da sociedade civil, um terço da sociedade civil organizada e um terço do poder público local.

Integrante da comunidade e da sociedade civil no Conselho Gestor, o administrador Alceu Avelar parabenizou pela escolha deste modelo: “Nós, da sociedade civil, já provocamos essa questão da gestão compartilhada. Se isso de fato acontece, e com o estímulo do governo, é um passo enorme para o sucesso”. Além de atuar no conselho, Avelar pretende inserir as práticas artísticas e educacionais que coordena, na administração da ONG Instituto Batucar. A organização promove aulas de percussão corporal, com foco em crianças e adolescentes. “Eu entrei no grupo quando eu era adolescente, estava perdido. O instituto me deu uma perspectiva de vida, tive estímulo para continuar estudando. Agora queremos chegar ao maior número de pessoas possíveis, empoderar nossas crianças”, afirma o representante.

O presidente do Conselho de Cultura do Recanto das Emas e integrante do Conselho Gestor Céu das Artes, Alex Theiss, assumiu o papel de estimular iniciativas como a de Avelar, no CEU de Recanto das Emas. “Vamos tentar oxigenar o espaço. Não adianta ter esse espaço maravilhoso se não trabalharmos nele. O desafio começa realmente amanhã”, afirmou, convocando a população de Recanto para ocupar o espaço.

Texto e Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Salvar