Você está aqui:
Divulgado resultado final do Prêmio Funarte de Dramaturgia

4.9.2018 – 10:55

A Fundação Nacional de Artes (Funarte), instituição vinculada ao Ministério da Cultura, publicou o resultado final do Prêmio Funarte de Dramaturgia 2018. Também foram disponibilizadas as portarias de nomeação das comissões das fases de habilitação e seleção. Os documentos estão disponíveis na página do edital.

Dez autores são premiados no edital, em duas categorias, de acordo  com a faixa etária às quais os textos se destinam. Em cada um desses grupos é contemplada uma obra, de cada uma das cinco regiões do país, com premiação de R$ 20 mil. Na categoria Adulto, os vencedores são dos municípios de Primavera do Leste (MT), Porto Velho (RO), Recife (PE), Curitiba (PR) e Rio de Janeiro (RJ). Na classe Infância e Juventude, serão premiados dramaturgos de Viamão (RS), Brasília (DF) Porto Velho (RO), Salvador (BA) e São Paulo (SP).

Também é prevista pelo edital a publicação de uma coletânea das peças contempladas na página da Funarte. Foram considerados quatro critérios na avaliação: estrutura do texto, tema e linguagem; originalidade; potencial de montagem; e clareza do tema abordado.

 

Funarte

A Fundação Nacional de Artes (Funarte) é o órgão responsável, no âmbito do Governo Federal, pelo desenvolvimento de políticas públicas de fomento às artes visuais, à música, ao teatro, à dança e ao circo. Os principais objetivos da instituição são o incentivo à produção e à capacitação de artistas, o desenvolvimento da pesquisa, a preservação da memória e a formação de público para as artes no Brasil.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação / Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Projeto financiado pela Rouanet leva música a hospitais públicos

8.8.2018 – 11:53

Os músicos que compõem a Orquestra Limiar, em São Paulo, apresentam-se nesta quarta-feira (8) em um novo palco para agradar um público muito especial: os pacientes e profissionais do Hospital São Paulo. Trata-se do primeiro espetáculo de uma temporada de 16 apresentações do projeto Música nos Hospitais, da Associação Paulista de Medicina (APM), que conta com o apoio do Ministério da Cultura (MinC) por meio da Lei Rouanet.

Criada em 2004, orquestra já se apresentou a mais de 60 mil pessoas em 176 apresentações em 68 hospitais de São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Paraná, Rio Grande do Sul e Distrito Federal (Foto: Divulgação)

E não é só o público que se encanta com a oportunidade de assistir a uma orquestra ao vivo. Os músicos também têm uma relação especial com o projeto, distinta da que têm com outros palcos. “O projeto é diferente. Ele dá outro sentido ao trabalho do músico. Não se trata só de repetir uma frase, uma composição. O ambiente precisa de algo mais, de um alento. Levar música para o hospital é levar esperança para aquelas pessoas”, diz o maestro da Limiar, Samir Rahme, que também é médico.

Criada em 2004, a iniciativa já levou apresentações de música clássica a mais de 60 mil pessoas – foram realizadas 176 apresentações em 68 hospitais de São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Paraná, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. Até o fim de 2018, instituições de saúde da capital e do interior de São Paulo, além de Fortaleza e Salvador, receberão apresentações do projeto. Veja aqui a programação completa.

Responsável pela curadoria musical do projeto, Samir aposta em uma mescla entre o clássico e o contemporâneo. Para o programa desta quarta-feira (8), o maestro escolheu obras de Bach, Mozart, Schubert e Beethoven. “No início, sempre tocamos clássicos. Mozart é maravilhoso para ser tocado em hospitais. Depois colocamos composições mais contemporâneas, de artistas brasileiros, MPB e até Beatles”, promete.

No programa deste ano, o toque brasileiro fica por conta da Embolada das Bachianas Brasileiras, de Villa Lobos. O concerto segue com uma adaptação de A Hard Day’s Night, dos Beatles, seguida por um tango de Astor Piazzola. É então que a orquestra surpreende e embala a todos com uma versão de Despacito, de Luis Fonsi, sucesso global em 2017 que, atualmente, tem mais de cinco bilhões de visualizações no Youtube.

 

Inclusão e cura

Os concertos são todos gratuitos e abertos a pacientes, visitantes e profissionais de saúde. Começam em uma área comum dos hospitais e, depois, a orquestra se divide em grupos que seguem tocando pelos corredores e quartos, para que a música chegue até os pacientes que não podem deixar seus leitos.

“A música é um medicamento e, dependendo da forma como você a conduz, pode trazer alívio para as pessoas. O semblante dos pacientes muda depois dos concertos. A música faz com que aquele dia ou aquela semana seja melhor para eles”, conclui o maestro.

Esses benefícios são comprovados por diversas associações médicas. A música tem o poder de ajudar a diminuir a ansiedade e o desconforto durante procedimentos médicos, reduzir efeitos colaterais de tratamentos mais agressivos, como quimioterapia e radioterapia, e auxiliar a reabilitação física.

Pesquisa feita pela Associação Paulista de Medicina com o público do projeto nas últimas edições identificou que 78% dos pacientes que assistiram às apresentações conseguiram driblar o peso emocional dos dias de internação e tratamento. Cerca de metade deles viu nas apresentações uma forma de se esquecer momentaneamente de seus problemas de saúde.

 

Propagar a cultura musical 

Como se alegrar e encantar pessoas em situações delicadas fosse pouco, a iniciativa Música nos Hospitais ainda ajudar a divulgar a música para o maior número de pessoas possível. A pesquisa da APM também mostrou que cerca de 70% dos entrevistados jamais haviam estado em concerto ou apresentação de música erudita e instrumental. A cada apresentação, que chega a reunir 500 pessoas, sem considerar as que estão nos leitos e corredores das casas de saúde, mais e mais pessoas têm acesso à música.

E não basta só investir na formação de público. O projeto também visa estimular a produção musical. “Todos os anos, nós reservamos uma parte da verba para compositores nacionais, que criam peças exclusivas para o projeto”, diz o maestro Samir. “É preciso estimular e valorizar o seu trabalho”, completa.

O maestro Samir sonha em ter uma orquestra completa, pois identifica que há uma relação entre os grupos de instrumentos e o funcionamento do organismo. “Os instrumentos de corda trabalham diretamente com o coração e o pulmão, com o ritmo, o sentir. Os de percussão, com o metabolismo, o movimento e a vontade. E os de sopro estão ligados à percepção, à forma, ao pensar. Se tivéssemos a estrutura de uma orquestra completa, poderíamos ativar todos os polos do organismo dos pacientes, e a música trabalharia neles de forma mais completa também”, conclui.

 

Patrocínio 

Desde 2007 o projeto Música nos Hospitais conta com o apoio do Ministério da Cultura por meio do principal mecanismo de incentivo fiscal e fomento da pasta, a Lei Rouanet. O projeto teve dez propostas aprovadas, uma para cada ano de 2007 a 2014, e duas outras para os biênios 2015/2016 e 2017/2018. No total, a Associação Paulista de Medicina teve autorização para captar R$ 3,2 milhões patrocínio para a iniciativa.

De acordo com Flávia Negrão, coordenadora cultural da APM, a Rouanet foi essencial para a expansão da iniciativa. “No início do projeto, fazíamos um ou dois concertos por ano. A partir do momento que conseguimos aprovação na Lei Rouanet, pudemos aumentar o patrocínio e fazer mais concertos. Fomos de duas para 12 apresentações e, inclusive, pudemos levar os concertos para outros estados.” Agora, o desafio é conseguir levar a orquestra também. Nos projetos da Limiar, o desejo de montar uma orquestra que possa viajar. Hoje, as edições itinerantes do projeto são realizadas com músicos locais.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação / Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nova MP das Loterias assegura recursos para a área cultural

31.07.2018 – 22:35

O presidente Michel Temer assinou, nesta terça-feira (31), em cerimônia no Palácio do Planalto, medida provisória que garante que os recursos das loterias que cabem ao Fundo Nacional de Cultura (FNC) não sejam reduzidos. A proposta altera a Medida Provisória 841, ampliando de 0,5% para 2,92%, em 2018, e 2,91%, a partir de 2019, o percentual das Loterias de Prognósticos Numéricos destinado ao FNC. Além disso, destina também ao Fundo 0,4% da Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex). O MinC teve participação ativa nas negociações para elaboração da nova proposta.
Com a nova medida, o valor das loterias efetivamente destinado ao setor cultural será superior aos 3% praticados antes da edição da MP 841. Isso porque os percentuais de 2,92% e 2,91% incidirão sobre o valor líquido da arrecadação, enquanto que o percentual anterior incidia sobre o total bruto. Segundo cálculos feitos pelo Ministério da Cultura com base na expectativa de arrecadação para 2019, considerados os percentuais estabelecidos para todos os tipos de loteria, o setor cultural terá um saldo a mais projetado de R$ 1,36 milhão (veja tabela).
Além do presidente, a cerimônia contou com a participação dos ministros da Cultura, Sérgio Sá Leitão; do Esporte, Leandro Cruz; da Secretaria de Governo, Carlos Marum e o ministro interino da Segurança Pública, Luiz Cazetta.
Na avaliação do ministro Sérgio Sá Leitão, os recursos das loterias ajudarão a manter a cultura como importante ativo na promoção de desenvolvimento para o País. “As políticas públicas de cultura e de esportes beneficiam não apenas artistas e esportivas, mas a sociedade como um todo. Jovens que estão na cultura e nos esportes se mantém longe da violência”, declarou.
Sá Leitão lamentou os crescentes índices de violência entre os jovens brasileiros e o número alarmante de homicídios no País. “Em 2017, foram registrados 62 mil homicídios, entre os quais 33 mil jovens entre 18 e 34 anos. A resposta para esse quadro está nas políticas de cultura, de esporte e de segurança pública. Por isso, lançamos junto com o Ministério da Segurança um programa que levará cursos profissionalizantes na área de economia criativa para mais de 8 mil jovens de áreas vulneráveis do Rio de Janeiro”, afirmou.
Por ser uma medida provisória, o texto entra em vigor a partir da publicação no Diário Oficial da União (DOU) nesta quarta-feira (1º). Confira a íntegra da MP. Na sequência, Congresso Nacional aprecia o texto do Executivo no prazo de 120 dias.
Fonte: Assessoria de Comunicação / Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nova Medida Provisória garante manutenção de recursos das loterias para a cultura

13.07.2018 – 20:08

O Governo Federal vai enviar ao Congresso Nacional, em 10 dias, uma nova medida provisória garantindo que os valores das loterias que cabem ao Fundo Nacional de Cultura (FNC) não sejam reduzidos. Além disso, pela primeira vez, 0,5% dos recursos da Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex) serão destinados à Cultura. O MinC teve participação ativa nas negociações para elaboração da nova proposta.

“A decisão representa o claro reconhecimento do presidente Michel Temer e da equipe do Governo da importância do setor cultural e da política pública de Cultura para o desenvolvimento do País, e também para a redução da violência e da criminalidade. Trata-se de uma grande vitória para a cultura brasileira”, disse o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

 

Entenda a distribuição

Atualmente, existem cinco tipos de loterias no Brasil, de onde vem a  arrecadação total obtida por meio da captação de apostas ou venda de bilhetes: a Loteria Passiva (Loteria Federal), quando o apostador adquire o bilhete já numerado; as Loterias de Prognósticos Numéricos, entre as quais estão a Mega-Sena, a Quina, a Lotofácil e a Lotomania; a Loteria de Prognósticos Específicos, como a Timemania; de Prognósticos Esportivos, como Loto X e Loteca; e a Loteria Instantânea Exclusiva (Lotex), em que o apostador sabe, na hora em que raspa o cartão, se ganhou algum prêmio.

A maior parte da arrecadação de todas as cinco modalidades de loteria (95%) vem das Loterias de Prognósticos Numéricos. Com a nova MP, o percentual desta modalidade destinado ao FNC aumenta de 0,5% (previstos pela 841), para 2,91% do valor líquido. Antes da publicação da 841, esse percentual era de 3% do valor bruto. Na prática, de acordo com a nova proposta, sobre o valor devido ao FNC não incidirão descontos, o que significa que o montante destinado à cultura será maior.

Com a nova medida, não perderão recursos nem o MinC, nem os ministérios do Esporte e da Segurança Pública. Para assegurar essa distribuição, o governo vai reduzir o percentual de aumento das premiações para os apostadores.

No caso das Loterias de Prognósticos Numéricos, o percentual de premiação diminuirá de 50% (previstos na MP 841) para 43,79%.

Já o percentual das Loterias de Prognósticos Esportivos e da Loteria Passiva (Federal) vai aumentar com a intenção de atrair mais apostadores, já que essas duas modalidades hoje representam apenas 4% das loterias. No caso da Esportiva, de 37% para 55%. E da Federal, de 55% para 60%.

A nova MP trará, ainda, a definição de que os prêmios prescritos da loteria (aqueles cujos apostadores não reivindicaram a premiação) serão destinados ao Fundo Garantidor do Financiamento Estudantil (Fies).

 

Fonte: Assessoria de Comunicação / Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cultura comemora manutenção dos recursos para o setor em MP

13.07.2017

O Ministério da Cultura manifesta sua satisfação com a decisão do presidente Michel Temer de editar nova medida provisória sobre as loterias federais, de modo a fazer com que os valores que cabem ao Fundo Nacional de Cultura e ao Esporte não sejam reduzidos, ao mesmo tempo em que um volume significativo de recursos seja destinado à política de Segurança Pública.

O MinC teve participação ativa nas negociações para a elaboração da nova medida provisória e recebe com imensa felicidade o resultado do processo, que representa um claro reconhecimento da importância do setor cultural e da política pública de Cultura para o desenvolvimento do País e também para a redução da violência e da criminalidade.

Trata-se de uma grande vitória para a cultura brasileira. Os recursos oriundos das loterias federais destinados à área cultural não serão, portanto, reduzidos; e o FNC terá ainda uma participação na nova modalidade de loteria criada pela MP 841, a Lotex, o que significará na prática uma ampliação dos recursos.

O MinC agradece ao presidente Michel Temer e aos demais ministros envolvidos no processo de construção da nova medida provisória, que será editada até o fim do mês. Houve sensibilidade para atender ao pleito do setor cultural e garantir os recursos necessários à implementação de uma política cultural eficiente, abrangente e eficaz.

A atual gestão do MinC continuará trabalhando junto ao Governo Federal para a criação do Programa Federal de Fomento Direto à Cultura, conforme proposta já apresentada, para que haja a transferência direta dos recursos das loterias federais da Caixa Econômica Federal para projetos culturais selecionados por meio de editais de alcance nacional, de maneira a evitar contingenciamento e assegurar equidade com o Esporte.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação / Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Santana (AP) recebe a terceira Virada Afro

A Fundação Cultural Palmares (FCP), entidade vinculada ao Ministério da Cultura, e o Governo do Estado do Amapá (GEA) abrem, nesta sexta (29), a terceira edição da Virada Afro – Circuito Cultural Amapá Afro. O evento, que segue até domingo (1) em Santana (AP), busca valorizar elementos da cultura negra amapaense, além de ofertar capacitações à população e fortalecer a economia local por meio do empreendedorismo.

O presidente da FCP, Erivaldo Oliveira, destacou que a Virada Afro já faz parte do calendário cultural do Amapá e ressaltou a importância da iniciativa. “A Virada é um sucesso no Amapá, onde foi nosso projeto piloto, e já está servindo de referência para o restante do País com edições sendo realizadas em outros cinco estados brasileiros”, afirmou.

Para o governador do Estado Waldez Góes, a intenção é expandir o evento – que ocorre duas vezes ao ano (em junho e dezembro) – para os demais municípios amapaenses. “Nesta edição do meio do ano, será a vez dos santanenses recepcionarem os que vierem de outras cidades do Amapá, participar deste movimento cultural. Vamos trabalhar para levar a música, a arte, a gastronomia, e empreendedorismo da cultura negra para outras regiões do Estado”, adiantou.

A programação da Virada Afro inclui feira cultural e comércio de produtos afro-étnicos, cursos, e exposições, incluindo a Feira de Afroempreendedor, com cerca de 60 empreendedores.
Quem for ao evento poderá assistir aos shows de Margareth Menezes, do grupo Olodum, e de Grazzi Brasil, ex-participante do programa The Voice Brasil, entre outras apresentração.
Outros pontos de destaques são a Oficina de Fotografia em Celular, ministrada pelo fotógrafo Januário Garcia, e o Curso de Elaboração e Gestão de Projetos Culturais, que busca auxiliar os agentes culturais a desenvolverem projetos de acordo com as exigências legais.

3ª Virada Afro no Amapá
Dias: de 29 de junho a 1º de julho (sexta-feira a domingo)
Hora: a partir das 17h
Local: corredor da Avenida Santana, no Centro da cidade

Fonte: ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *