Você está aqui:
Divulgado o resultado final do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça – 9ª Edição

Foram contemplados três projetos, com premiações entre R$ 30 mil e R$ 100 mil

A Fundação Nacional de Artes – Funarte divulgou nesta quarta-feira, dia 18 de dezembro, o resultado final do Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça – 9ª Edição. Foram contemplados três projetos, em três módulos:

• Módulo I – Doação de obras da artista Teresa Viana para o Museu de Arte de Ribeirão Preto Pedro Manuel-Gismondi (MARP) – valor da premiação: R$ 30 mil;

• Módulo II – Antinomia/Recorte Contemporâneo do Rio Grande do Sul no acervo do Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães (MAMAM) – valor da premiação: R$ 60 mil;

• Módulo III – Egidio Rocci: Compreensão do AR ou (E=M²) – Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba (SP) – valor da premiação: R$ 100 mil.

A portaria com o resultado final foi publicada hoje (18) no Diário Oficial da União. Nesta mesma data, foi publicada também a portaria com os nomes dos componentes da Comissão de Seleção.

Acesse aqui a portaria da Comissão de Seleção

Acesse aqui o resultado final

O Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça – 9ª Edição visa incentivar produções artísticas destinadas ao acervo de instituições museológicas públicas e privadas sem fins lucrativos, fomentar a difusão e a criação das artes visuais, além de permitir a acessibilidade aos bens culturais e o compromisso com a formação de público.

Acesse, na página do edital, todos os documentos relacionados

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Divulgado resultado do concurso para ampliação do Museu Casa Lacerda (PR)

Os vencedores receberão premiação nos valores de R$ 20, R$ 10 e R$ 5 mil, respectivamente

Os três projetos vencedores do Concurso Público Nacional de Estudo Preliminar para Edifício Anexo e Agenciamento Externo do Museu Casa Lacerda foram definidos nesta quarta-feira, 18 de dezembro, pela comissão julgadora formada por arquitetos indicados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Paraná (Iphan-PR) e pelo Departamento do Estado do Paraná do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/PR).

São eles: 1º colocado: Figueroa Arq+Urb, de São Paulo (SP); 2º colocado: Zanatta Figueiredo Arquitetos Associados, de São Paulo (SP); e 3º colocado: Conceito Arquitetura, de Brasília (DF). Além dos três vencedores, foram concedidas três menções honrosas para a Pagus Arquitetura, de Curitiba (PR); a Estúdio BG, de São Paulo (SP); e a Mote 85 Arquitetos, de Porto Alegre (RS). Foram recebidas 72 propostas de 11 estados diferentes.

O concurso entra agora na fase de recursos, com início nesta quarta-feira, 18 de dezembro, e segue até o dia 26 de dezembro. Os recursos deverão ser interpostos por meio do site www.concursoanexocasalacerda.com. O objetivo do concurso é ampliar o espaço físico do Museu por meio da construção de um edifício anexo e de um projeto paisagístico que integre o novo edifício com os espaços externos do Museu.

Sala de visitas, Casa Lacerda, Lapa (PR)O primeiro lugar receberá a premiação no valor de R$ 20 mil e a assinatura de contrato para o desenvolvimento de todos os projetos executivos no valor de R$ 265 mil. O segundo e o terceiro colocados receberão a premiação no valor de R$ 10 e R$ 5 mil, respectivamente. A nova estrutura irá possibilitar a amplificação das ações de educação patrimonial oferecidas no local, com mais espaços para atividades culturais e exposições. Além disso, por estar dentro de um centro histórico tombado, pretende ainda criar um espaço para atendimento à população lapeana sobre questões relacionadas às intervenções nas edificações do conjunto tombado. O resultado final, após a análise de recursos, será divulgado no dia 26 de dezembro.

O Museu
A Casa Lacerda é tombada individualmente pelo Iphan e pela Coordenação do Patrimônio Cultural do Paraná e está inserida em área urbana também protegida por tombamento nas duas esferas. Doada ao Iphan na década de 1980, a Casa abriga hoje um Museu que reproduz uma típica residência lapeana, além de funcionar como Casa do Patrimônio, sediando exposições temporárias, cursos e atividades voltadas à população local.

Confira as propostas vencedoras, o edital e o cronograma do concurso.

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan

comunicacao@iphan.gov.br
Clélia Lima – clelia.lima@iphan.gov.br
(61) 2024-5528 – 2024-5527
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Estação Cidadania oferece cultura, esporte e desenvolvimento social a moradores de Santos (SP)

Espaço é reservado para ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação profissional, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e inclusão digital

A Praça da Paz Universal, a maior de Santos (SP), recebeu neste sábado (21) a inauguração da Estação Cidadania do Bairro Jardim Castelo, na região noroeste da cidade. A população pode usufruir um novo espaço para ações culturais, práticas esportivas e de lazer, formação e qualificação profissional, serviços socioassistenciais, políticas de prevenção à violência e inclusão digital. O investimento do governo federal na Estação foi de R$ 3,5 milhões.

Com 7 mil metros quadrados, o equipamento tem pista de skate, aparelhos de ginástica, parque infantil, quadras de areia e poliesportiva, pista de caminhada e biblioteca. Também à disposição dos moradores estão salas multiuso, cineteatro, auditório e um Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) – que atenderá inicialmente 1,4 mil famílias inscritas no Cadastro Único, a porta de acesso às políticas sociais do governo federal.

O secretário especial da Cultura, Roberto Alvim, esteve presente na inauguração e destacou a vocação da Estação Cidadania em ser um polo aglutinador das comunidades. “É um centro em que se pretende a formação cidadã, a formação de sensibilidades para os jovens, adultos e crianças. Uma das ações mais fundamentais, possíveis de serem feitas por uma política cultural estruturante é a construção desses equipamentos. Mas não é só construir. É preciso promover atividades permanentes, como peças de teatro, musicais, mostras de filmes”, destacou.

O prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, agradeceu o aporte financeiro do governo federal. “Sem isso não seria possível viabilizar esse equipamento. É uma região com bastante vulnerabilidade social e esse equipamento vai fazer a diferença na vida dessas pessoas, transformar a vida dessas pessoas para melhor. Resultado de uma boa parceria com o governo federal”, enfatizou.

A professora Egle Rodrigues Pereira, do projeto social Tia Egle, atende crianças de 4 a 14 anos no contraturno escolar. Segundo a educadora, o local servirá como extensão das atividades já realizadas com os alunos. “Esse espaço vai ser muito importante não só para as crianças da Tia Egle, mas também para todas as crianças do entorno. O local está muito bem equipado. É um novo momento para as crianças da zona Noroeste de Santos”, comemorou.

A Estação Cidadania fica a menos de dez minutos da casa de Welington Gomes Domingos. O morador, que é cadeirante, ficou surpreso com a estrutura com acessibilidade e a oferta de atividades inclusivas. “É próximo da minha casa. É um ganho, para todos nós com necessidades especiais, atividades que ocupem a nossa cabeça para a gente conseguir evoluir”, contou.

Os cursos e oficinas na Estação Cidadania serão oferecidos a partir da segunda semana de janeiro de 2020. Esta é a 18ª Estação Cidadania entregue em 2019, somando mais de R$ 30 milhões de investimento do governo federal. Também estavam presentes na inauguração do equipamento o secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural, Rodrigo Junqueira e o presidente da Biblioteca Nacional, Rafael Nogueira.

Estrutura

A Praça da Paz Universal tem 21 mil metros quadrados. Para o secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural, Rodrigo Junqueira, a Estação Cidadania é um presente à população de Santos. “Eles tomaram essa estrutura com muito amor, estão cuidando com muito amor. A comunidade é privilegiada por ter esse espaço incrível. Agora, precisamos trabalhar junto a prefeitura para povoar esse lugar. É um orgulho entregar esse equipamento, hoje, às pessoas”, afirmou Junqueira.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Iphan-PR lança concurso nacional de arquitetura para ampliação do Museu Casa Lacerda

Os três primeiros colocados receberão premiação nos valores de R$ 20, R$ 10 e R$ 5 mil, respectivamente 

Sala de visitas, Casa Lacerda, Lapa (PR)O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Paraná (Iphan-PR), em parceria com o Departamento do Estado do Paraná do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/PR), está com inscrições abertas, até o dia 4 de dezembro, para o Concurso Público Nacional de Estudo Preliminar para Edifício Anexo e Agenciamento Externo do Museu Casa Lacerda, edificação de características coloniais situada no Centro Histórico da Lapa (PR).

O objetivo do concurso é ampliar o espaço físico do Museu por meio da construção de um edifício anexo e de um projeto paisagístico que integre o novo edifício com os espaços externos do Museu. As inscrições deverão ser feitas exclusivamente por meio do site www.concursoanexocasalacerda.com.

O primeiro lugar receberá a premiação no valor de R$ 20 mil e a assinatura de contrato para o desenvolvimento de todos os projetos executivos no valor de R$ 265 mil. O segundo e o terceiro colocados receberão a premiação no valor de R$ 10 e R$ 5 mil, respectivamente. A nova estrutura irá possibilitar a amplificação das ações de educação patrimonial oferecidas no local, com mais espaços para atividades culturais e exposições. Além disso, por estar dentro de um centro histórico tombado, pretende ainda criar um espaço para atendimento à população lapeana sobre questões relacionadas às intervenções nas edificações do conjunto tombado.

A comissão julgadora do concurso é formada por arquitetos indicados pelo Iphan e pelo IAB/PR. O resultado final será divulgado no dia 18 de dezembro deste ano.

O Museu
A Casa Lacerda é tombada individualmente pelo Iphan e pela Coordenação do Patrimônio Cultural do Paraná e está inserida em área urbana também protegida por tombamento nas duas esferas. Doada ao Iphan na década de 1980, a Casa abriga hoje um Museu que reproduz uma típica residência lapeana, além de funcionar como Casa do Patrimônio, sediando exposições temporárias, cursos e atividades voltadas à população local.

Visita guiada
Os interessados em participar do Concurso Casa Lacerda terão oportunidade de tirar dúvidas e conhecer melhor as regras do edital. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional no Paraná (Iphan-PR), em parceria com o Departamento do Estado do Paraná do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/PR) e a Prefeitura Municipal da Lapa, irão realizar, na próxima quinta-feira, 14 de novembro, de 9h às 15h, na Casa Lacerda, uma mesa redonda para apresentar o edital. O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas no local.

Confira o edital e o cronograma do concurso. 

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan

comunicacao@iphan.gov.br
Clélia Lima – clelia.lima@iphan.gov.br
(61) 2024-5528 – 2024-5527
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Teatro Amazonas vai receber R$ 2,3 mi do governo federal para medidas de segurança e manutenção predial

Os recursos são do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD), do Ministério da Justiça. Este é o maior investimento público no teatro nos últimos 20 anos

Manaus/AM – Inaugurado em 1896, o Teatro Amazonas, primeiro bem tombado como patrimônio brasileiro no estado do Amazonas, vai receber investimentos para a sua conservação. Serão R$ 2,3 milhões para medidas de segurança e manutenção predial. Os recursos são do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD), do Ministério da Justiça, provenientes de condenações judiciais, multas e indenizações para reparação de danos causados ao meio ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico.

Segundo o diretor do Teatro Amazonas, Cândido Jeremias, este é o maior investimento no local nas duas últimas décadas. Ele explica a importância do aporte financeiro para manter o prédio histórico em segurança. “Tem mais de 20 anos que não é investido no teatro um recurso como esse do governo federal. E isso vai ser mega, ultraimportante para a gente. Principalmente porque o projeto prevê um sistema de combate a incêndio para deixar o teatro 100% livre de qualquer mal, com alarme, com sistema inteligente. Teremos uma fiscalização importante na revisão elétrica, no sistema de câmeras. Então, esse projeto engloba toda a segurança do prédio e a manutenção, que é muito importante”, afirma.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), vinculado ao Ministério da Cidadania, vai lançar licitação para selecionar as empresas executarão os serviços de elaboração de projetos e construção dos sistemas de detecção e combate a incêndio, de instalações elétricas e de proteção contra descargas atmosféricas. Além da reforma voltada à segurança, a cortina, também conhecida como Pano de Boca do Teatro, será restaurada. Pintada a óleo sobre o tecido, a obra de arte homenageia o encontro das águas dos rios Negro e Solimões.

A intervenção no Pano de Boca está orçada em um R$ 1,8 milhão – sendo R$ 1,5 milhão do Ministério da Cidadania e R$ 400 mil do governo do Amazonas. Para a superintendente do Iphan no estado, Karla Bitar, os investimentos são necessários para salvaguardar um dos mais importantes teatros brasileiros e uma das principais casas de ópera do mundo.

“Além de o prédio ter esse valor excepcional artístico, sua arquitetura, seu estilo eclético, que é característico do período da borracha que tivemos no Amazonas e também no Pará, ele representa uma época em que uma sociedade buscava uma inspiração num cenário europeu e queria uma cidade com um embelezamento a partir de referências monumentais como esta. E, obviamente, era uma sociedade que gostava muito de cultura e de arte”.

Festival Amazonas de Ópera

O Teatro Amazonas é um dos mais ativos no cenário lírico nacional. Todos os anos, recebe o Festival Amazonas de Ópera, que desde 2000 já captou R$ 8,3 milhões pela Lei Federal de Incentivo à Cultura. O maestro adjunto da Orquestra Amazonas Filarmônica, Marcelo de Jesus, relata a emoção de subir ao palco do teatro manauara a cada apresentação. “É uma joia. E a sensação é a mesma, quando a gente entra aqui, estamos em um templo e, realmente, é um agradecimento e uma sensação de gratidão, mesmo, de podemos fazer o nosso trabalho, com uma estrutura muito bem consolidada, com um público que nos prestigia. Então, é uma felicidade e um orgulho muito grandes”, declarou.

A cada ano, o Teatro Amazonas registra aumento no número de visitantes. Segundo dados da Secretaria de Cultura do Amazonas, até agosto de 2019, 73.884 pessoas estiveram no prédio histórico, um crescimento de cerca de 11,7% comparado ao mesmo período do ano passado.

Assessoria de Comunicação
Ministério da Cidadania

Informações para a imprensa:
(61) 2024-2266 / 2412

 

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Secretaria Especial da Cultura e FBB discutem projetos para Estação Cidadania

Ricardo Braga conversou com diretor executivo da Fundação Banco do Brasil sobre projetos de educação para a unidade de Brumadinho (MG)

Da esquerda para a direita, Ricardo Braga, Paulo Nakamura e Rogério Biruel (Foto: Clara Angeleas/Ministério da Cidadania)

Brasília/DF – O Ministério da Cidadania e a Fundação Banco do Brasil vão desenvolver em parceria projetos de educação profissionalizante na Estação Cidadania de Brumadinho, em Minas Gerais. A parceria foi debatida em reunião entre o secretário especial da Cultura, Ricardo Braga, o secretário de Difusão e Infraestrutura Cultural, Paulo Nakamura, e o diretor executivo da fundação, Rogério Biruel.

Localizadas em regiões de alta vulnerabilidade social, as Estações Cidadania reúnem, em um só espaço, ações de cultura, esportes, assistência social e capacitação profissional, além de políticas de prevenção à violência. A unidade do município mineiro possui três mil metros quadrados, nos quais abriga uma praça, um Centro de Referência de Assistência Social (Cras), além de biblioteca, sala de informática, cineteatro e quadra poliesportiva.

A Estação Cidadania de Brumadinho integra o pacote de medidas para recuperação do município, a chamada Aliança por Brumadinho, coordenada pelo Ministério da Cidadania. “São iniciativas que estão ajudando a alavancar novamente Brumadinho e dar uma condição de vida melhor para aquela população. A Estação Cidadania é quase um reflexo do Ministério da Cidadania, porque nós temos agora o Esporte, a Cultura e o Desenvolvimento Social. Hoje, uma Estação Cidadania é uma integração desses principais pilares”, ressalta Nakamura.

Entre as empresas parceiras da Aliança por Brumadinho está a Fundação Banco do Brasil. Na reunião com os secretários do Ministério da Cidadania, realizada na quinta-feira (10), o diretor Rogério Biruel afirmou que a instituição vai contribuir para a recuperação do município, ofertando profissionalização à comunidade que vive no entorno do local. O objetivo, segundo ele, é ampliar as oportunidades da população no mercado de trabalho.

“É um projeto de basicamente disponibilizar cursos de educação profissionalizante para a população que fica na região da Estação Cidadania e tentar contribuir, de alguma maneira, para melhorar as habilidades das pessoas e as oportunidades de empregabilidade”, relata.

Dentro do projeto proposto pela Fundação Banco do Brasil, devem ser ofertados cursos de informática, artesanato, música e educação financeira, entre outros. As aulas serão ministradas na própria Estação Cidadania, localizada no bairro Cohab.

Aliança por Brumadinho – Trata-se de um pacote de medidas que visa a reconstrução do município, a recuperação da atividade econômica e o resgate da autoestima da comunidade, com ações nas áreas de desenvolvimento social, educação, saúde, cultura, esporte, infraestrutura, meio ambiente e segurança.

Por Renata Garcia

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *