Você está aqui:
Abertas inscrições para o maior prêmio de valorização do Patrimônio Cultural

A 33ª edição do Prêmio Rodrigo vem com a novidade de oferecer inscriçao online, com acesso por meio do site do Iphan

Todos os brasileiros que atuam na gestão, preservação, valorização e promoção do Patrimônio Cultural podem participar do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade. Promovido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) desde 1987, esta é a maior premiação nacional no campo do Patrimônio Cultural e tem como objetivo valorizar aqueles que atuam em favor da preservação dos bens culturais do país.

Reconhecido mundialmente pela sua diversidade cultural, o Brasil é um país que condensa a influência de vários grupos que colaboraram para a formação de uma identidade nacional. Por isso, o edital, disponível no site do Iphan e publicado no Diário Oficial da União (DOU), desta segunda-feira, dia 23 de março, traz novos segmentos na premiação, visando a atender a uma maior gama de ações que já acontecem em todo o território nacional.

Serão selecionadas 12 ações no campo do Patrimônio Cultural Brasileiro. Cada premiado receberá o valor de R$ 20 mil. Para participar, os proponentes deverão acessar o formulário de inscrição, disponível no site do Iphan, até o dia 18 de maio. As ações serão pré-selecionadas pelas Comissões Estaduais, compostas por representantes das diferentes áreas culturais de cada Estado, presidida pelo superintendente. As ações vencedoras na etapa estadual serão analisadas pela Comissão Nacional de Avaliação, formada pela presidência do Iphan e por 21 jurados que atuam nas áreas de preservação ou salvaguarda do Patrimônio Cultural. O resultado final do concurso deverá ser divulgado até o dia 30 de agosto de 2020, no site do Iphan.

Nesta edição, o Prêmio Rodrigo traz duas grandes categorias subdivididas em seis segmentos:

Categoria 1 – Iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Material referem-se às ações nas áreas de preservação de bens de natureza material como paisagens culturais, cidades históricas, sítios arqueológicos, edificações e monumentos; e ainda as coleções arqueológicas, acervos museológicos, documentais, bibliográficos, arquivísticos, videográficos, fotográficos e cinematográficos, assim como ações relacionadas de comunicação, difusão e educação.

Categoria 2 – Iniciativas de excelência no campo do Patrimônio Cultural Imaterial referem-se às ações nas áreas de salvaguarda de práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; ritos e festas que marcam a vivência coletiva do trabalho, da religiosidade e do entretenimento; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas; e nos lugares que abrigam práticas culturais coletivas. Ainda, coleções e acervos associados a estas manifestações culturais, assim como ações de comunicação, difusão e educação relacionadas.

Para concorrer à premiação, podem participar pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas, que tenham desenvolvido ou estejam desenvolvendo ações voltadas para a preservação do Patrimônio Cultural Brasileiro em qualquer lugar do território nacional e que já tenham resultados verificáveis no ano de 2019. Elas também deverão ser inscritas em um dos seis segmentos definidos no edital:

Segmento I – Administração direta e indireta (exceto municípios);
Segmento II – Administração direta e indireta municipal;
Segmento III – Universidades (Públicas e Privadas);
Segmento IV – Fundações ou Empresas Privadas, exceto Micro Empreendedor Individual (MEI);
Segmento V – Cooperativas, associações formalizadas ou redes e coletivos não formalizados;
Segmento VI – Pessoas Físicas ou Micro Empreendedor Individual (MEI).

É importante ressaltar que no caso das redes e dos coletivos não formalizados, na fase de inscrição será necessário o envio de uma carta de anuência assinada por seus componentes.

A Comissão Nacional de Avaliação
Desde sua criação, a Comissão Nacional de Avaliação desempenha um papel de extrema relevância para a promoção dos bens culturais do Brasil. Responsável pela seleção dos trabalhos premiados, a comissão é formada por 21 profissionais, representantes de instituições públicas e da sociedade civil, experientes, qualificados e envolvidos em caráter permanente com a produção e proteção do Patrimônio Cultural Brasileiro.

Além dos 12 grandes vencedores, a Comissão Nacional, no momento da análise das ações concorrentes, poderá definir cinco delas que receberão a distinção de menção honrosa. Essas ações não receberão a premiação principal, mas serão reconhecidas por seu mérito para a preservação, salvaguarda, promoção e valorização do Patrimônio Cultural Brasileiro.

O Patrimônio Cultural Moderno no Brasil
Em 2020, o Prêmio Rodrigo fará, também, uma homenagem ao Patrimônio Cultural Moderno. A construção do campo do Patrimônio Cultural no Brasil está intrinsicamente relacionada aos modernistas e ao movimento moderno da semana de 1922, razão pela qual a criação do Iphan, em 1937, trouxe contribuições do ponto de vista conceitual e de valores patrimoniais que ainda não eram trabalhados internacionalmente.

Desta forma, a arquitetura e o urbanismo brasileiros tiveram uma contribuição preponderante ao Movimento Moderno em âmbito mundial. Muitos são os casos que marcam essa história, como a construção do prédio do Ministério da Educação e Saúde – Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro (RJ); as obras dos arquitetos Lucio Costa e Oscar Niemeyer; os trabalhos do paisagista Roberto Burle Marx e do artista plástico Athos Bulcão; a escola paulista com as construções de Warchavchik e de Vila Nova Artigas, Reidy e os Irmãos Roberto, no Rio de Janeiro.

Outros dois exemplos incontestáveis da importância brasileira no Movimento Moderno são o Conjunto Urbano de Brasília (DF) e o Conjunto Moderno da Pampulha, em Belo Horizonte (MG). Ambos são reconhecidos como Patrimônio Mundial pela Unesco, sendo que a capital brasileira, que comemora 60 anos em 2020, foi a primeira cidade do mundo a ser tombada como Patrimônio Cultural Moderno.

Mais informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan
comunicacao@iphan.gov.br

 

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicado resultado da primeira etapa da seleção do Mestrado Profissional do Iphan 2020

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) torna pública a lista dos candidatos habilitados para a segunda fase do processo seletivo do Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural – 2020, bem como a lista dos candidatos não habilitados.

Em virtude de atrasos nos serviços dos Correios, informamos que, caso alguma inscrição enviada dentro do prazo previsto pelo Edital chegue à Coordenação do Mestrado até 27 de março de 2020, será avaliada pela Comissão de Habilitação da Candidatura e o resultado será disponibilizado no Portal do Iphan no dia 30 de março de 2020, com respectivos prazos para envio e resposta às solicitações de esclarecimentos e/ou recursos.

Consulte as listas aqui

Fonte: Iphan

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Inscrições abertas para o Mestrado Profissional do Iphan

Com o objetivo de formar, durante 24 meses, profissionais graduados em diversas áreas de conhecimento para atuarem no campo da preservação do patrimônio cultural, o Centro Lucio Costa: Escola do Patrimônio, do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, publica o 12º Edital para a seleção de 10 vagas para alunos-bolsistas para o Mestrado Profissional em Preservação do Patrimônio Cultural do Iphan. Os interessados poderão se inscrever até o dia 02 de março de 2020.

O Mestrado Profissional associa as práticas de preservação nas unidades da Instituição, distribuídas no território nacional, ao aprendizado teórico-metodológico e à pesquisa. O início das atividades será dia 03 de agosto de 2020, conforme determinações do Edital.

Confira o Edital

Mais informações:

E-mail: mestrado.clc@iphan.gov.br

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Divulgados os vencedores do Prêmio Luiz de Castro Faria 2019

Prêmio Luiz de Castro Faria - 7ª Edição 2019

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio do Centro Nacional de Arqueologia (CNA), anuncia os cinco ganhadores da 7ª Edição do Prêmio Luiz de Castro Faria. Os trabalhos que concorreram em quatro categorias – Artigo Científico, Monografia de Graduação, Dissertação de Mestrado e Tese de Doutorado – serão contemplados com prêmios de R$ 7 mil, R$ 10 mil, R$ 15 mil e R$ 20 mil, respectivamente.

A premiação contou com a avaliação da Comissão Julgadora composta pelos arqueólogos Dr. Grégoire André Henri Marie Ghislain Van Havre, Drª. Mônica Almeida Araújo Nogueira, Drª Margareth de Lourdes Souza.

Os Vencedores
Na Categoria Artigo Científico, foram escolhidos os artigos: Onde estão as quadrículas? A decapagem mecânica e suas contribuições para o estudo de unidades domésticas no contexto da arqueologia preventiva, de autoria de Bruno de Souza Barreto, e Arqueologia dos Gestos na Indústria Lítica do Sítio Colônia Miranda – SE, de autoria de Janaína Patrícia Coutinho e coautoria de Paulo Jobim de Campos Mello.

Já na Categoria Graduação, a monografia escolhida foi: Os Lugares de Memória e a Carta Arqueológica do Município de Brejo Santo, Estado do Ceará, Brasil, de autoria de Daline Lima de Oliveira desenvolvida no âmbito da Graduação em Arqueologia da Universidade Federal do Vale do São Francisco, sob orientação do Profº Dr. Alencar Miranda Amaral e Co-orientação do Profº Dr. Valdeci dos Santos Júnior

A dissertação Arqueobotânica e Mudanças Socioeconômicas durante o Holoceno Médio no Sudoeste da Amazônia, de autoria de Laura Pereira Furquim, desenvolvida no âmbito do Mestrado em Arqueologia do Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo sob orientação do Profº Dr. Eduardo Góes Neves e Co-orientação da Profª Drª. Myrtle Pearl Shock, foi a selecionada da Categoria Mestrado.

A tese vencedora da Categoria Doutorado foi: Os Olhares sobre o Patrimônio Arqueológico de Itaipu (Niterói/RJ) e sua ressignificação como Paisagem Cultural, de autoria de Marcela Nogueira de Andrade, desenvolvida no âmbito do Doutorado em Arqueologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro, sob orientação do Profª Drª. Maria Dulce Barcellos Gaspar de Oliveira.

A premiação
Desde 2013, o Centro Nacional de Arqueologia (CNA/Iphan) promove o Prêmio Luiz de Castro Faria, em reconhecimento à pesquisa acadêmica que verse sobre o patrimônio arqueológico brasileiro que, devido a sua originalidade, vulto ou caráter exemplar, mereçam registro, divulgação e reconhecimento público.

A data e local da cerimônia de entrega do prêmio serão anunciados em breve.

Luiz de Castro Faria
Nascido em Niterói (RJ) em julho de 1913, o antropólogo, arqueólogo, professor, biblioteconomista e museólogo Luiz de Castro Faria foi um dos fundadores da Associação Brasileira de Antropologia. Foi responsável pela formação de uma geração inteira de antropólogos brasileiros nas universidades federais do Rio de Janeiro e Fluminense –  UFRJ e UFF -, universidades onde recebeu o título de Professor Emérito.

Designado pelo governo brasileiro, foi responsável por participar, guiar e fiscalizar grandes expedições etnográficas do século XX. A última foi a Expedição à Serra do Norte, chefiada por Claude Lévi-Strauss, em 1938. Luiz de Castro Faria morreu aos 91 anos, no dia 12 de agosto de 2004.

Informações sobre a premiação:
Centro Nacional de Arqueologia (CNA/Iphan)
(61) 2024-6300 – premio.cna@iphan.gov.br
Quadra SEPS, 713/913 Bloco D – 3º andar Asa Sul Brasília – DF

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Ministério da Cidadania está com inscrições abertas para formação de artistas cênicos
Projeto inédito será realizado pela Funarte em Brasília. Seleções para as vagas serão feitas no Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo

publicado: 26/08/2019 19h31, última modificação: 30/08/2019 18h54

Inscrições estão abertas até o dia 21 de setembro para cursos permanentes e gratuitos dedicados à formação de artistas cênicos (Foto: Divulgação)

A Fundação Nacional de Artes (Funarte), entidade vinculada ao Ministério da Cidadania, está com inscrições abertas até o dia 21 de setembro para cursos permanentes e gratuitos dedicados à formação de artistas cênicos, no Conservatório Brasileiro de Teatro. A escola, de abrangência nacional, surge para formar uma nova geração do teatro brasileiro.

O Conservatório será sediado no Teatro Plínio Marcos, no Complexo Cultural Funarte, em Brasília, onde vão ocorrer as aulas. Estão previstas, ao todo, 50 vagas nos cursos de Dramaturgia, Direção e Atuação, com duração de sete meses cada. As aulas estão previstas para iniciar em 6 de janeiro de 2020. Para os selecionados que não moram em Brasília, o Conservatório vai oferecer até 20 bolsas no valor de R$ 2,8 mil mensais.

O coordenador do Centro de Artes Cênicas da Funarte, Roberto Alvim, destacou a iniciativa do governo federal ao formar uma escola de abrangência nacional e de excelência para formação de artistas. “Há uma preocupação com a descentralização das políticas públicas. O oferecimento das bolsas de estudo propicia que alunos de todas as regiões do País possam estudar e ter acesso a essa formação técnica de alto nível que o Conservatório Brasileiro de Teatro vai oferecer”, disse Alvim.

Ao final dos cursos, previsto para julho, o Conservatório vai realizar a mostra de 15 espetáculos criados e executados pelos alunos. “Serão textos escritos pelos alunos do curso de Dramaturgia, dirigidos pelos alunos da Direção, tendo como elenco os alunos do curso de Atuação. Essa mostra iniciará pelo Teatro Plínio Marcos e, em seguida, fará uma pequena turnê por outros teatros da rede federal ao longo de 2020”, completou o coordenador.

O processo de seleção será feito por membros do Centro de Artes Cênicas da Funarte. As audições estão marcadas para os meses de outubro e novembro, no Teatro Plínio Marcos, em Brasília; no Teatro Dulcina, no Rio de Janeiro e no Teatro da Arena, em São Paulo.

Para saber mais sobre o Conservatório Brasileiro de Teatro e os cursos com inscrições abertas para a formação de artistas cênicos, acesse: funarte.gov.br.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial da Cultura
Ministério da Cidadania

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Edital Bolsa Funarte de Estímulo à Conservação Fotográfica Solange Zúñiga

A Funarte disponibilizou a portaria que dispõe sobre designar membros da Comissão Técnica Interna de Habilitação do Edital Bolsa Funarte de Estímulo à Conservação Fotográfica Solange Zúniga.

Acesse aqui a Portaria Funarte nº. 209, de 31/07/2019

ERRATA- 19/07/2019

A Funarte publicou no dia 19 de julho de 2019, no Diário Oficial da União, ato de retificação do edital Bolsa Funarte de Estímulo à Conservação Fotográfica Solange Zuñiga, publicado dia 15/07/2019. As alterações citam: o nome do programa, do qual foi retirada a palavra “prêmio”; e a troca de subitens.

Acesse aqui a retificação

Acesse aqui o edital retificado

INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ O DIA 29/08/2019

A Fundação Nacional de Artes – Funarte publicou, no dia 15 de julho de 2019, a primeira edição do Edital Bolsa Funarte de Estímulo à Conservação Fotográfica Solange Zúñiga. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União. As inscrições estão abertas de 16 de julho a 29 de agosto de 2019.

O programa vai contemplar projetos de pesquisa, com textos inéditos no campo da preservação e da conservação da fotografia. A iniciativa é realizada por meio do Centro de Conservação e Preservação Fotográfica (CCPF), integrante do Centro de Artes Visuais da Funarte.

Através do edital, serão concedidas cinco bolsas de R$ 40 mil cada uma. Podem candidatar-se pessoas físicas, residentes em qualquer lugar do Brasil, que atuem nas áreas técnicas relacionadas ao concurso.

Essa ação da Funarte possui como objetivo estimular a produção de conhecimento no campo da conservação e da preservação fotográficas. O processo seletivo inclui três módulos de concorrência. São eles:

1 – Ações e estudos sobre conservação e restauração fotográfica no Brasil – duas bolsas serão concedidas no módulo;
2 – Ações e estudos sobre digitalização e preservação digital de acervos fotográficos no Brasil – duas bolsas; e
3 – Ações e estudos realizados sobre processos fotográficos históricos dos séculos XIX e XX – nesse módulo será concedida uma bolsa

O produto final a ser desenvolvido pelos contemplados deve ser um texto, tendo como padrão os Cadernos Técnicos de Conservação Fotográfica – números 6, 7 e 8, editados pela Funarte, conforme as especificações do edital. Essa coleção, coordenada e desenvolvida pelo CCPF, pode ser baixada neste link:

Legado para a bibliografia e para a formação na área

Por meio desse edital, a Funarte intenciona promover a produção de textos originais, que contribuam para a formação de novos profissionais em conservação e preservação da fotografia; além de estimular a capacitação técnica nos vários setores relacionados à área, por meio do desenvolvimento da bibliografia direcionada a profissionais e estudantes, bem como da divulgação do conhecimento e de experiências ligados a esse campo.

Inscrições

As inscrições estão abertas de 16 de julho a 29 de agosto de 2019 e deverão ser realizadas exclusivamente pelo correio, por meio de formulário de inscrição disponível neste link.

O envelope de envio deve ser preenchido com os seguintes dados:

a) Destinatário:
Edital Bolsa Funarte de Estímulo à Conservação Fotográfica Solange Zúñiga
Centro de Conservação e Preservação Fotográfica da Funarte/CEAV
Centro Empresarial Cidade Nova – Teleporto
Av. Presidente Vargas nº 3.131 – 18º andar, sala 1804 – Cidade Nova
Rio de Janeiro (RJ)
CEP: 20.210-911

b) Remetente
Nome completo do proponente
Endereço completo do proponente

c) ) Título do Projeto (Indicar também: Módulo 1 ou 2 ou 3)

Acesse aqui o edital

Acesse aqui o formulário de inscrição

O CCPF

O Centro de Conservação e Preservação Fotográfica (CCPF) – Funarte é um núcleo de excelência que, há mais de 30 anos, pesquisa, desenvolve e difunde sistemas e métodos que são amplamente utilizados pelas instituições brasileiras detentoras de coleções, além do reconhecimento como centro de referência internacional no campo da preservação e conservação fotográfica.

A homenagem

O Centro de Conservação e Preservação Fotográfica/CEAV – Funarte considera de grande relevância a homenagem a Solange Zuñiga no edital. “Trata-se da profissional responsável pela concepção, desenvolvimento e coordenação geral do Programa Nacional de Preservação e Pesquisa da Fotografia realizado na Funarte, que culminou na criação do CCPF. Além disso, Solange Zuñiga foi uma incentivadora da pesquisa no campo da conservação fotográfica, no qual alcançou grande prestígio, tanto no Brasil como em outros países da América do Sul”, comenta Sandra Baruki, coordenadora do CCPF.

Sobre Solange Zuñiga

Solange Zuñiga era doutora em Ciência da Informação pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) – em convênio com a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) – com tese sobre políticas de preservação de acervos documentais, e mestre em Biblioteconomia pela Universidade de Columbia – Nova York (EUA), onde cursou mestrado em Administração da Preservação. Foi diretora do antigos departamentos de Artes e de Pesquisa e Documentação da Funarte, onde foi responsável pela concepção, desenvolvimento e coordenação do Programa Nacional de Preservação e Pesquisa da Fotografia a instituição que originou o CCPF. Participou da equipe de historiadores responsável pela concepção, implementação e coordenação do projeto do Centro de Pesquisas Históricas da Fundação Casa de Rui Barbosa. Foi uma das idealizadoras do projeto Publicação e Disseminação de Literatura Técnica em Preservação, do programa Conservação Preventiva em Bibliotecas e Arquivos (CPBA), com apoio de instituições norte-americanas, como a Comission on Preservation and Access (Comissão de Preservação e Acesso) e a Fundação Andrew W. Mellon e, no Brasil, da Fundação Vitae – Apoio à Cultura, Educação e Promoção Social.

Mais informações
edital.ccpf@funarte.gov.br

Acesse o edital e os documentos relacionados a ele nesta página, na coluna da direita, Arquivos Relacionados

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *