Você está aqui:
Está disponível o kit digital da 19ª Semana Nacional de Museus

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) disponibilizou o kit digital para a divulgação da Semana de Museus 2021. Formado por cartaz, selos, capas para redes sociais, card arte, card para programação e certificado de participação, confira aqui o kit da 19ª Semana Nacional de Museus ( 19ª SNM). A previsão de lançamento do Guia da Programação é no dia 19 de abril.

As capas para as redes sociais e as informações sobre como usá-las foram pensadas para que as instituições participantes possam incrementar a comunicação da 19ª SNM e, dessa forma, consigam alcançar um público maior.

Coordenada pelo Ibram, a SNM será realizada entre os dias 17 e 23 de maio de 2021, data em que museus de todo o país organizam eventos e atividades a partir do tema proposto. Este ano o tema escolhido foi O futuro dos museus: recuperar e reimaginar, que propõe a reflexão sobre o futuro dos museus.

Dúvidas e outras questões sobre a 19ª SNM podem ser enviadas para o e-mail semana@museus.gov.br.

Fonte – Ibram

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Gabriel de Oliveira desenvolve pesquisa sobre a “Cidade Marina”, projeto utópico de Oscar Niemeyer para o sertão de Minas Gerais

Planejado como um conjunto urbano abrangente e sustentável a partir de uma colônia agropecuária, localizada no noroeste de Minas Gerais, o projeto da Cidade Marina foi lançado por Niemeyer meses antes do início da construção de Brasília, em meados de 1956. Apesar de não ter saído do papel devido a disputas de terras e entraves políticos, o conceito da cidade acompanha a pulsão criadora de Niemeyer e o paradigma de desenvolvimento que vigorava na época.

A pesquisa desenvolvida por Gabriel Túlio de Oliveira Barbosa, por meio do Programa de Apoio à Pesquisa da Biblioteca Nacional, visa a rastrear o percurso histórico de um dos projetos mais audaciosos elaborados por Oscar Niemeyer (1907-2012). Em meados dos anos 1950, a transferência da capital do Brasil do litoral para o interior do país mobilizou esforços e, fundamentalmente, investimentos na região do entorno do Planalto Central. Distante pouco mais de 200 km de onde seria construída Brasília e encravada nos ermos do chapadão do Urucuia – paisagem eternizada pela literatura de João Guimarães Rosa, em Grande Sertão: Veredas – a Cidade Marina foi idealizada não simplesmente como um cinturão para o abastecimento agrícola para a nova capital federal, mas como uma cidade humanista e autossustentável na região. O projeto, única cidade integralmente planejada por Oscar Niemeyer para o país, ainda previa o paisagismo de Roberto Burle Marx, o projeto de irrigação por Luigi Galiolli e execução do engenheiro Paulo Peltier de Queiroz.

Para uma imersão no passado e nas entrelinhas desse projeto utópico, ainda desconhecido entre pesquisadores brasileiros, a pesquisa de Gabriel de Oliveira apresenta uma possibilidade original de investigação a partir de profunda interação com o acervo da Biblioteca Nacional. O trabalho abrange uma busca pelos mais importantes periódicos armazenados na FBN, cujo conteúdo se apresenta, até então, como uma das poucas fontes documentais para a pesquisa relacionada à Cidade de Marina.

Essas fontes, exclusivas da Hemeroteca Digital da FBN, revelam a grande repercussão nacional em torno do projeto da cidade, contando com envolvimento direto de Oscar Niemeyer e de outras figuras políticas, como o próprio presidente da república Juscelino Kubitschek. Apesar de o projeto não ter saído do papel, o capital político envolvido na proposta e o amplo apoio de investimentos privados refletem os paradigmas de desenvolvimento e as contradições para a construção de uma identidade modernizadora para o país em meados do século XX.

A pesquisa surge como um dos desdobramentos da tese de doutorado Corpos em Baile: giros da literatura, giros do afeto nos Gerais, defendida por Gabriel de Oliveira em 2018 no Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Premiada como a melhor tese do Programa e com Menção Honrosa no grupo de Grandes Áreas de Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas e Linguística, Letras e Artes da Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG, o estudo foi base para a publicação do livro “Giro dos Afetos: a literatura rosiana no meio do redemoinho”, em 2019, pela Editora Letramento.

Gabriel de Oliveira é mestre e doutor em Geografia pela UFMG, onde aprofundou sua pesquisa sobre a labiríntica interação existente entre a obra do escritor Guimarães Rosa e a geografia dos Gerais. Foi professor do Centro de Excelência em Turismo (CET) na Universidade de Brasília (UnB) e pesquisador do Núcleo de Políticas Públicas em Turismo (CNPq). É também colaborador de projetos socioculturais no norte mineiro, pesquisador, documentarista e produtor cultural. Graduado em Turismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (2009), atua com temas ligados à geografia e literatura, patrimônio cultural, turismo de base territorial e os “saberes e fazeres” no sertão de Minas Gerais.

Currículo Lattes –  http://lattes.cnpq.br/9396430813594125

Fonte- Fundação Biblioteca Nacional

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Revista Poesia Sempre

Criada em 1993, com o objetivo de proporcionar espaço para a produção poética recente no Brasil e no mundo, a Revista Poesia Sempre tornou-se uma das mais apreciadas publicações da Biblioteca Nacional.

Nesta revista, a poesia ganhou a companhia de ensaios, entrevistas, contos, dossiês e das artes plásticas, formando um painel amplo das artes contemporâneas. Não demorou muito para ela se tornar um marco, seja como publicação de excelência da melhor poesia e ensaística brasileiras, seja como referência incontornável da cultura brasileira no exterior.

Publicação única na história da inteligência brasileira, a revista retorna com o desejo de restaurar um espaço de excelência da poesia no Brasil, do que há de melhor na poesia brasileira, além de aprofundar o diálogo entre os poetas-editores e os poetas do país.

Saiba mais em: https://www.bn.gov.br/projeto-editorial/publicacoes-periodicas/revista-p…

Acesse a coleção completa: http://memoria.bn.br/DocReader/501395/290

Leia também a entrevista com o novo curador da Revista Poesia Sempre:

https://www.bn.gov.br/acontece/noticias/2021/03/entrevista-com-erico-nog…

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicações abordam a preservação da cultura catarinense

Convite Roda de Conversa

Roda de conversa será transmitida ao vivo pelo canal oficial do Iphan no YouTube e aberta ao público

Uma roda de conversa online marcará o lançamento de três publicações que integram a Coleção Rede Educação Patrimonial Catarina, nesta sexta-feira (26/03), às 16h. Os livretos “Conservação preventiva de imóveis antigos em núcleos históricos”, “Educação Patrimonial no centro histórico de Laguna” e “Conservação preventiva de imóveis antigos na região de imigração” farão parte de uma série de nove publicações que busca retomar, de forma sintética, alguns dos conceitos do campo do Patrimônio Cultural, bem como revisitar saberes e lugares da cultura catarinense.

As publicações, em formato digital, estarão disponíveis no site do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e também poderão ser encontradas, em formato impresso na sede do Iphan em Florianópolis (SC) e nos Escritórios Técnicos do Instituto em Laguna (SC), Pomerode (SC) e São Francisco do Sul (SC).

“Esta é uma ação que muito nos orgulha, pois é fruto de uma construção coletiva que continua gerando bons resultados. O nosso intuito é dar continuidade a essas iniciativas em conjunto com parceiros municipais e sociedade civil organizada para que, paralelamente, cada um em seu papel, possamos expandir esta coleção”, disse a superintendente do Iphan em Santa Catarina (Iphan-SC), Liliane Nizzola.

Para dialogar sobre os livretos e sobre a preservação do Patrimônio Cultural do estado, a roda de conversa contará com a mediação da superintendente do Iphan-SC e da participação da arquiteta, organizadora e editora das publicações, Maria Regina Weissheime. Também participam as arquitetas e chefes dos escritórios técnicos do Iphan em São Francisco do Sul, Laguna e Pomerode: Aline Figueiredo, Ana Paula Cittadin e Suelen Artuso, respectivamente. O ex-chefe do Escritório Técnico em Pomerode, Marco Antônio Gabriel, também estará no bate-papo.

As publicações “Conservação preventiva de imóveis antigos em núcleos históricos” e “Conservação preventiva de imóveis antigos na região de imigração” têm como objetivo oferecer informações acessíveis e efetivas para proprietários e usuários de bens tombados interessados em realizar adequadamente a manutenção de seus imóveis. Já o livreto “Educação Patrimonial no centro histórico de Laguna” é composto por um material de apoio para educadores que desejem trabalhar a temática do Patrimônio Cultural em sala de aula. Os três materiais foram integralmente elaborados pelo Iphan.

Aberto ao público, o evento será transmitido ao vivo pelo canal oficial do Iphan no YouTube.

Coleção Rede Educação Patrimonial Catarina

Os quatro primeiros livretos da coleção foram elaborados entre 2018 e 2020 por parceiros do Iphan na Rede Patrimônio Cultural Santa Catarina e produzidos integralmente pelos signatários do Acordo de Cooperação Técnica para realização de ações de educação patrimonial. São eles: “Engenho é patrimônio: Inventário Cultural dos Engenhos de farinha do litoral catarinense” (Cepagro/Rede Catarinense de Engenhos de Farinha); “Conhecendo Museus Blumenau” (Secretaria Municipal de Cultura de Blumenau); “Araquari: nossa história, nossa herança” (Secretaria Municipal de Cultura de Araquari); e “Itaiópolis, Mosaico Cultural” (Secretaria Municipal de Cultura de Itaiópolis).

O livreto da Rede de Engenhos compartilha o processo de construção coletiva do inventário participativo dos engenhos de farinha do litoral catarinense, ação vencedora do Prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, em 2019. Os livretos de Blumenau, Araquari e Itaiópolis buscam retratar as realidades locais, que demonstram alguns dos principais atrativos locais e suas singularidades.

Já em 2020, a Rede Patrimônio Cultural Santa Catarina se ampliou, nascendo assim a Rede de Educação Patrimonial Catarina, a qual congrega parceiros que atuam na área da educação patrimonial no estado. Assim, mais dois livretos foram criados: Ilha do Campeche e Educação Patrimonial (Instituto Ilha do Campeche); e Plano de Salvaguarda da Capoeira em Santa Catarina (Colegiado de Mestres de Capoeira de Santa Catarina).

Esses números abordam temáticas relacionadas com dois bens protegidos e salvaguardados pelo Iphan: a Ilha do Campeche, inscrita no Livro do Tombo Arqueológico, Etnográfico e Paisagístico, em 2000, e a Roda de Capoeira, inscrita no Livro de Registro das Formas de Expressão, em 2008.

Serviço:

Roda de conversa e lançamento de publicações sobre Patrimônio Cultural em Santa Catarina
Data: Sexta-feira (26/03)
Horário: de 16h às 18h
Local: Canal do YouTube do Iphan: Iphangovbr

Confira as publicações aqui:

Conservação preventiva em imóveis antigos em núcleos históricos            Conservação preventiva em imóvies antigos na regiao de imigração            Educação Patrimonial no Centro Histórico de Laguna   

Informações para a imprensa
Assessoria de Comunicação Iphan
comunicacao@iphan.gov.br
Juliana Brascher – juliana.brascher@iphan.gov.br
(61) 2024-5527
www.iphan.gov.br
www.facebook.com/IphanGovBr | www.twitter.com/IphanGovBr
www.youtube.com/IphanGovBr

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7ª JORNADA DE PESQUISADORES DA FBN
O evento contribui para o alcance da meta 19 do PNC.
A 7ª JORNADA DE PESQUISADORES DA FUNDAÇÃO BIBLIOTECA NACIONAL (FBN) será realizada entre os dias 19 e 21 de outubro de 2021 com o tema principal “Memória e Preservação Digital”. No evento, pesquisadores apresentarão os resultados de suas investigações que têm como fonte de pesquisa o acervo da FBN.

Para detalhes sobre inscrições acesse o link:

https://www.bn.gov.br/jornada-pesquisadores

Fonte – Fundação Biblioteca Nacional

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Oficina de transliteração de páginas de rosto em latim
A oficina contribui para o alcance da meta 18 do PNC.
O Plano Nacional de Recuperação de Obras Raras da Fundação Biblioteca Nacional abre sua agenda de eventos para 2021 com a “Oficina de transliteração de páginas de rosto em latim”, ministrado pelo Prof. Dr. Fábio Frohwein de Salles Moniz e a Prof.ª Lúcia Pestana da Silva.

A oficina será dividida em dois módulos teórico (07/04) e prático (08/04), das 18h às 20h30, transmitido pelo Canal do YouTube da FBN: www.youtube.com/c/FundacaoBibliotecaNacional.

Tendo por objetivo oferecer rudimentos sobre a grafia do latim em obras raras e sensibilizar o participante para a problemática dos sinais diacríticos, variações gráficas, símbolos e reduções de impressões do séc. XV-XVIII.
Inscrições através do link: https://www.even3.com.br/oficinalatimplanor/

 

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *