Você está aqui:
Seminário debate estratégia para Núcleos de Produção Digital

Começa na tarde desta sexta-feira (17), na Cidade de Goiás (GO), o I Seminário Cinema: Formação em Rede, promovido pelo Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás (IFG) em parceria com a Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura (MinC). O evento, que segue até domingo (19), vai discutir a formação para a linguagem audiovisual nos Institutos Federais de Educação e os resultados e projeções para os Núcleos de Produção Digital (NPDs), projeto do MinC voltado ao audiovisual. 

Parte integrante do programa Olhar Brasil, relançado pelo Ministério da Cultura em julho deste ano, os NPDs são espaços voltados à produção e à difusão do conteúdo audiovisual brasileiro. O objetivo é formar e consolidar parcerias com os estados para o desenvolvimento da atividade audiovisual, além de apoiar a produção independente, por meio do fornecimento de equipamentos adequados.

Os Núcleos incluem câmeras, lentes, cartões de memória, tripés, cases para proteção e transporte do equipamento, refletores, microfones, gravadores, softwares de edição, computadores e caixas de som. Até o momento, já foram implantados 26 NPDs em 22 unidades da Federação.

Diálogo

Um dos objetivos do seminário é promover o diálogo entre os representantes dos NPDs e o setor de formação regular, especialmente com os Institutos Federais, em função da oferta de cursos em formação tecnológica. Entre os temas a serem debatidos estão os projetos de cinema, audiovisual e educação nos Institutos Federais e a formação audiovisual nos IFs.

Durante o evento, um grupo de trabalho será formado para produzir o documento “Carta do I Seminário Cinema: Formação em Rede”. Além disso, haverá ainda apresentações de estudos de casos da Universidade Federal do Mato Grosso, do Polo Audiovisual de Cataguazes (Zona da Mata Mineira) e da Secretaria de Audiovisual do Ministério da Cultura. Além disso, uma mostra de curtas-metragens também ocorrerá durante o seminário.

Fonte: ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

MinC divulga resultado do Prêmio Ferreira Gullar
Depois de cumpridos os prazos de recursos, o Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB) do Ministério da Cultura (MinC) divulgou, nesta quinta-feira (9), o resultado final do Prêmio Ferreira Gullar. Os três primeiros classificados receberão prêmio em dinheiro – conforme estabelecido no edital – e troféus, em solenidade prevista para ocorrer no próximo mês.
Foram selecionados os trabalhos O Universo de Ferreira Gullar, de Elisson Bastos Tavares, de Manacapuru (AM); Ferreirinha Game: Os Poemas de Ferreirinha, de João Vitor Cardozo de Oliveira, de Duque de Caxias (RJ); e A Arte Existe Porque a Vida Não Basta, de Hiago Matheus Cunha Pereira, de Itajaí (SC). O primeiro colocado receberá R$ 10.000; o segundo, R$ 7.142,86 e o terceiro, R$ 4.285,72.
Os selecionados têm prazo de cinco dias corridos para apresentar a documentação complementar: cópia da Carteira de Identidade e do CPF, Certidão Conjunta de Débitos Relativos a Tributos Federais e à Dívida Ativa da União do responsável indicado pelo grupo e documento indicando agência, conta e banco para depósito do valor do prêmio.
Esta é a primeira etapa do prêmio, voltado para estudantes matriculados em escolas da rede pública ou privada de ensino fundamental ou médio. O objetivo foi incentivar o interesse pela leitura, estabelecendo um diálogo entre os jogos digitais e a literatura. Os candidatos deveriam criar um jogo ou aplicativo inspirado na obra de Ferreira Gullar.
O DLLLB recebeu 60 inscrições e foram habilitados os 11 melhores trabalhos. Desse universo, saíram os três primeiros colocados. O resultado foi publicado no Diário Oficial da União.
Texto e Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

Encontro no Rio de Janeiro debate acessibilidade cultural

O Ministério da Cultura (MinC) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) promovem, de segunda-feira (13) a quarta-feira (15), no Rio de Janeiro, a quinta edição do Encontro Nacional de Acessibilidade Cultural (Enac). O objetivo do evento é discutir maneiras de tornar ambientes e equipamentos culturais acessíveis às pessoas com deficiência.

Participantes do encontro vão debater como a tecnologia tem sido utilizada para promover acessibilidade cultural às pessoas com deficiência (Foto: Divulgação)

Nos três dias, os participantes vão debater como a tecnologia tem sido utilizada para promover acessibilidade cultural às pessoas com deficiência. Também serão discutidas a relação entre a acessibilidade e o audiovisual; e políticas públicas, controle social e acessibilidade, entre outros temas. Oficinas, exposições e o espetáculo Corpo sobre Tela, do artista Marcos Abranches, também estão na programação.
De acordo com o arquiteto e servidor da Representação Regional do MinC no Rio de Janeiro e Espírito Santo, Osvaldo Emery, a ideia é que o encontro e o curso de Especialização em Acessibilidade Cultural, que deve ter nova turma em 2018, formem agentes multiplicadores para que, cada vez mais, as pessoas com deficiência saiam da invisibilidade no meio cultural, participando ativamente tanto como espectadores ou consumidores de cultura quanto como produtores culturais.
O encontro conta com o apoio das universidades Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), do Fórum Permanente UFRJ Acessível e Inclusiva e do Sistema Universitário de Apoio Teatral (Suat).
Texto e Fonte: Assessoria de Comunicação/Ministério da Cultura

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

ANCINE assina parceria com Banco do Nordeste para atuar como agente financeiro do FSA

Christian de Castro, Fabiano Piúba, Marcos Holanda, Debora Ivanov, Inácio Arruda, Wolney Oliveira, Fernanda Farah e Alex Braga

A ANCINE, o BNDES e o Banco do Nordeste (BNB) assinaram nesta segunda, 13 de novembro, um protocolo de intenções para a celebração de contrato que concederá ao BNB o status de agente financeiro do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). O banco foi credenciado pelo Comitê Gestor do FSA em decisão publicada no Diário Oficial da União no dia 3 de novembro. O BNB será o agente financeiro do fundo para os projetos da região do CONNE (Centro-Oeste, Norte e Nordeste).

A assinatura aconteceu durante a abertura do 3º Mercado Audiovisual do Nordeste, em solenidade com a presença da diretora-presidente em exercício da ANCINE, Debora Ivanov; do presidente do BNB, Marcos Holanda; da gerente de Cultura do BNDES, Fernanda Farah; do secretário de Cultura do Estado do Ceará, Fabiano Piúba; e do diretor da Região Nordeste do CONNE – Conexão Audiovisual Centro-Oeste, Norte e Nordeste, Wolney Oliveira.

Wolney Oliveira abriu o evento destacando a importância da nova parceria: “Hoje é um dia histórico para o audiovisual das nossas regiões e também para o audiovisual brasileiro. Realizamos aqui um sonho, que teve início em 2011 com a criação da Lei 12.485. A referida lei destina 30% dos recursos do FSA, o que atualmente são aproximadamente 600 milhões de reais por ano, para as regiões CONNE. Então, o BNB vai passar a gerir em torno de 200 milhões de reais, a cada ano, para a produção de séries para a TV e de longas-metragens de qualquer gênero, produzidos nestas três regiões”, comemorou Wolney Oliveira.

Em sua participação, a diretora-presidente da ANCINE, Debora Ivanov, destacou a importância estratégica da regionalização para a Agência e para o Fundo Setorial do Audiovisual. Debora anunciou a presença dos dois novos diretores da ANCINE, Alex Braga e Christian de Castro, que foram prestigiar o evento. “Para a ANCINE, a regionalização é uma prioridade. A região do CONNE tem mais de 1.800 produtoras e em vários estados há uma política continuada, casada com os investimentos do FSA, com destaque para o Ceará, onde já há alguns anos temos feito um trabalho conjunto, não só no que diz respeito à produção de filmes, mas também na construção de salas de cinema. Nosso objetivo é estar mais perto de vocês. Essa parceria com o BNB foi acalentada há muito tempo”, afirmou a diretora.

A gerente de Cultura do BNDES, Fernanda Farah, chamou atenção para o potencial econômico do setor audiovisual: “O BNDES acredita muito no audiovisual, em seu poder de geração de renda e no efeito multiplicador dos empregos. Essa parceria é o caminho que estamos trilhando, fortalecendo a nossa crença de que o audiovisual é uma indústria que representa uma economia limpa, que gera empregos de qualidade e que, para nós, é o futuro, é uma nova forma de enxergar a indústria brasileira”.

Logo em seguida, Fabiano Piúba, secretário de Cultura do Estado do Ceará, após saudar a nova parceria, falou brevemente sobre as iniciativas locais de fomento ao audiovisual, como o edital estadual que este ano chega a sua 15ª edição, com investimentos de R$ 22 milhões em recursos estaduais suplementados pelo Fundo Setorial do Audiovisual no âmbito da Chamada Pública de Arranjos Regionais; do edital inédito da TVC – TV Ceará que será lançado durante o Mercado Audiovisual do Nordeste, com oportunidades para a produção de conteúdo para televisão; e dos investimentos do Programa Cinema da Cidade, que utiliza recursos do Programa Cinema Perto de Você, do FSA, e vai resultar na abertura de 20 novas salas em dez municípios do interior cearense.

O último a se pronunciar antes da assinatura do protocolo foi o presidente do Banco do Nordeste, Marcos Holanda. Ele destacou a relevância da indústria criativa na economia do século XXI: “Em um outro evento, me colocando como economista, falei que no século XXI, os empregos e as empresas estão sendo geradas muito mais no criar e muito menos no fazer. Fazer está ficando cada vez menos relevante. É irreversível. Onde a riqueza está sendo gerada no mundo é no criar. A indústria de audiovisual é muito importante dentro dessa nova indústria que se chama indústria criativa. O BNB, como banco de desenvolvimento, tem poder e importância dentro dessa indústria, que não polui, que gera empregos, que preserva cultura e que fomenta conhecimento. Tem tudo a ver esse momento e a participação do BNB no gerenciamento e na operação desse Fundo que envolve recursos substanciais”, completou.

Após assinatura, Debora Ivanov apresentou dados sobre investimentos do FSA nas regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste

Após a solenidade de abertura, a diretora-presidente em exercício da ANCINE, Debora Ivanov, falou sobre a descentralização de recursos no setor durante o painel “Políticas de Financiamento e Desenvolvimento para o Audiovisual”. Em sua apresentação, ela ressaltou que, desde 2013, os recursos do Fundo Setorial do Audiovisual para o CONNE cresceram 518%. Debora também fez uma comparação da evolução na distribuição de recursos regionais nos últimos anos. Em 2016, obras originais do Nordeste receberam 13,1% dos aportes do FSA – em 2010, essa participação da região era de apenas 1%.

A diretora-presidente lembrou as medidas tomadas que visam aumentar a produção regional, também por meio do Fundo. Ela citou a linha de Arranjos Regionais, que já destinou R$ 132 milhões em investimentos do FSA (67% do total) e outros R$ 110 milhões em aportes locais (64%) para projetos oriundos das três regiões (NE, N e CO). Debora lembrou que as contrapartidas nos arranjos regionais dão mais liberdade para o parceiro local realizar suas estratégias de fomento ao setor, já que, agora, também poderá investir em capacitação, produção de curtas-metragens e realização de festivais. E destacou a aprovação da participação de municípios nas Linhas de Arranjos Regionais, anteriormente limitada a estados e suas capitais.

Em sua apresentação, Debora Ivanov ainda falou sobre o saldo das regiões Nordeste, Norte e Centro-Oeste nas Linhas de Fluxo Contínuo do FSA, nas quais, apesar da grande evolução do acesso ao fundo nos últimos anos, projetos destas regiões ainda teriam R$ 207,8 milhões de investimento a receber, para alcançar o patamar de 30% do valor total. Para dar conta desse saldo, já foram disponibilizados R$ 94 milhões para investimentos via PRODAV 02, edital que contempla carteiras de projetos de programadoras. O restante do valor será destinado a ações estratégicas definidas em estreito diálogo com representantes dessas regiões. Entre elas já está sendo analisada uma proposta de investimento em Núcleos de Desenvolvimento de menor porte para que um maior número de produtoras possa preparar seus projetos para competir no mercado.

Fonte: Ancine

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

Museu da Casa de Rui Barbosa reabre para visitação

Após reforma da fachada e melhorias no jardim histórico, o museu da Fundação Casa de Rui Barbosa, instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), reabre ao público. Estão no local cerca 60 mil livros e 1,4 mil peças de mobiliário e objetos decorativos e de uso pessoal de Rui Barbosa.

O jurista cuidava pessoalmente da decoração da casa, que demonstra forte influência europeia. Objetos e móveis trazidos das suas viagens somam-se a peças adquiridas em famosos magazines da cidade, como Mappin & Webb, Casa Leonardos e Loja América e China. 

Os ambientes do Museu permaneceram basicamente fiéis ao tempo em que a casa era habitada por Rui Barbosa. As pinturas, os lustres, tapetes e móveis oferecem ao visitante uma visão do que era, na época, a residência de uma família da classe média urbana em formação na sociedade brasileira. A decoração interior traduz o ecletismo que dominou as artes no Brasil no final do século XIX e início do XX, como reflexo de uma sociedade em transformação.

Reformas

A Casa de Rui Barbosa passou por 11 meses de reforma, que contou com recuperação de elementos artísticos da fachada, limpeza das tapeçarias e implantação de um novo projeto de paisagismo no jardim, que ganhou novos bancos e iluminação. Novas plantas foram realocadas para cobrir a estrutura de

O museu (no alto) e o jardim (acima) da Casa de Rui Barbosa passaram por reformas (Fotos: Ivo Gonzalez/FCRB)

madeira do parreiral, o canteiro de rosas foi reativado, lagos foram restaurados e já se encontram com peixes e animais que frequentemente visitam a maior área verde do bairro de Botafogo.

Segundo Aparecida Rangel, museóloga da Casa de Rui Barbosa, em média 400 pessoas visitam o local todos os dias. “De manhã é mais comum a visitação de crianças, no horário de almoço muitos trabalhadores aparecem para descansar e, no fim de tarde, muitos idosos vêm para fazer caminhadas”, conta

Rui Barbosa

Rui Barbosa nasceu na Bahia, em 1849, e mudou-se para o Rio de Janeiro em 1879, quando foi eleito para a Assembleia Legislativa da Corte Imperial. Foi também orador, jurista, jornalista e abolicionista. Presidiu a Academia Brasileira de Letras após a morte de Machado de Assis, de 1908 a 1919. Conheça mais sobre esta grande personalidade brasileira.

Serviço

Jardim: Está aberto à visitação pública diariamente das 8h às 18h. Na última terça-feira do mês é possível a visitação noturna, até às 19h30.

Museu: de 3ª a 6ª feira, das 10 às 18h, com a última entrada 30 minutos antes do fechamento. Na última terça-feira do mês é possível a visitação noturna, até às 19h30. A entrada é franca.

Mais informações:
Telefone: 21.3289-8686
E-mail: museu@rb.gov.br

Fonte: ASCOM MinC

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.

Ancine apoia participação brasileira em festivais no exterior
Durante o mês de novembro, a Agência Nacional do Cinema (Ancine), instituição vinculada ao Ministério da Cultura, apoiará a participação de 12 obras audiovisuais brasileiras em oito festivais internacionais. A ajuda vem do Programa de Apoio à Participação Brasileira em Festivais, Laboratórios e Workshops Internacionais.
A coprodução Brasil-Canadá-Austrália “Man proposes, god disposes”, de Daniel Leo, abre as participações dos filmes apoiados pela Ancine. O longa-metragem participa da competição internacional de novos realizadores do Festival Internacional Mannheim-Heidelberg, evento que ocorre entre os dias 9 e 19, em Mannheim, na Alemanha. De 10 a 18 de novembro, está sendo realizada na Espanha a 43ª edição do Festival de Cinema Ibero-Americano de Huelva. O festival recebe o curta “O espírito do bosque”, de Carla Saavedra, com o apoio do Programa da Ancine. 
IDFA – Festival Internacional de Documentários de Amsterdã ocorre de 15 a 26 de novembro, na Holanda, e é o evento do mês com maior número de participantes brasileiros apoiados pela agência. “Piripkura”, de Renata Terra, Bruno Jorge e Mariana Oliva, aparece na Competição Primeira Obra; “Boca de fogo”, de Luciano Pérez Fernández, participa da Competição de Curtas Documentários; a coprodução Brasil-Cuba “Soy” será exibida pela Competição de Documentários Estudantis; a coprodução França-Brasil “Híbridos, Os Espíritos do Brasil”, de Vincent Moon e Priscilla Telmon, entra para a competição de Documentários Musicais; e, de Heloisa Azevedo Passos, “Construindo pontes” participa da programação do festival na mostra Panorama.
Na Competição Internacional do Festival Internacional de Cinema de Mar del Plata, na Argentina, será exibida o longa “Invisible”, de Pablo Giorgelli. O evento, que chega a sua 32ª edição, acontece entre os dias 17 e 26 de novembro. O Black Nights Film Festival será realizado de 17 de novembro a 3 de dezembro, em Tallinn, na Estônia, e recebe “Bingo: o rei das manhãs” na competição de primeiros filmes. Já em Turim, na Itália, será realizado de 21 a 26 de novembro o Torino Film Lab, que conta com a presença do projeto “Medusa”, de Anita Rocha da Silveira.
A 39ª edição do Festival dos 3 Continentes está marcada para os dias 21 e 28 de novembro, em Nantes, na França, e recebe em sua mostra não competitiva o longa “As boas maneiras”, de Marco Dutra e Juliana Rojas. Fechando o ciclo de participações apoiadas pela Ancine em eventos internacionais durante o mês de novembro, “Corpo elétrico”, de Marcelo Caetano, será exibido na competição internacional de longas do Festival Internacional de Cinema de Belfort, entre 25 de novembro e 3 de dezembro, também na França.
Fonte: Ancine

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar arquivos

É possível colocar imagens ou outro tipo de arquivo, junto com o seu comentário. Clique no botão abaixo, para selecionar e enviar o arquivo. Você pode enviar quantas imagens forem necessárias, cada imagem será mostrada junto de seu comentário.