Você está aqui:
Mais oito municípios aderem ao Sistema Nacional de Cultura

28.7.2017 – 15:20

Mais oito municípios das regiões Sul, Sudeste e Nordeste aderiram, nesta semana, ao Sistema Nacional de Cultura (SNC), instrumento criado pelo Ministério da Cultura (MinC) para gestão compartilhada de políticas públicas de cultura entre União, estados, municípios e a sociedade civil. Passam a integrar o SNC Capela (SE), Ibiquera (BA), Luzilândia (PI), Olho D’Água (PB), Duas Barras (RJ), Santa Gertrudes (SP), Descanso (SC) e Ibirubá (RS). Os convênios entre o Ministério da Cultura e os oito municípios foram publicados nesta sexta-feira (28) no Diário Oficial da União.

No total, já são 2.424 adesões ao SNC, o que corresponde a 43,52% dos municípios brasileiros, abrangendo 159,1 milhões de habitantes. Neste ano foram 180 novas adesões. Os 41 municípios brasileiros com mais de 500 mil habitantes já integram o SNC. Em cinco estados (Ceará, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro, Roraima e Santa Catarina), mais de 60% dos municípios já aderiram.

A partir da elaboração de leis específicas, municípios e estados atingem a institucionalização do Sistema de Cultura. A adesão permite que os estados e os municípios aprimorem a gestão cultural, criando órgãos de gestão locais, conselho de política cultural, conferência e plano de cultura, além de um sistema de financiamento.

A adesão se dá por meio da assinatura de um acordo de cooperação federativa entre o MinC e o ente federado, que se compromete a estruturar o seu Sistema de Cultura. Depois da publicação do acordo de cooperação federativa, os entes federados têm de apresentar um plano de trabalho.

Para auxiliar esse processo, o Ministério da Cultura vem realizado oficinas de implementação de Sistemas de Cultura, com o objetivo de capacitar os gestores e conselheiros municipais de cultura. Com isso, o MinC tem buscado oferecer aos municípios as condições técnicas apropriadas para a integração ao SNC.

A integração dos estados e municípios ao SNC é feita em três etapas: a primeira é a adesão voluntária, por meio da assinatura do Acordo de Cooperação Federativa, publicado no Diário Oficial da União (DOU); a segunda é a institucionalização, por meio da publicação de lei específica de criação dos sistemas estaduais, distrital e municipais de cultura; e a terceira é a implementação, com o efetivo funcionamento dos componentes da estrutura do sistema.

Fonte: ASCOM MinC

 

1 Comentário

  1. Evaldo Pedro da Costa
    Espero que não ocorra com estes o que ocorreu com o meu município, Esperança/PB. Por duas gestões, aderiu apenas no papel, não realizando nenhuma ação para que, de fato, passasse a integrar o Sistema Nacional de Cultura. Interessados, alguns servidores, nas duas ocasiões, elaboraram propostas e planos que foram mofar nas gavetas dos Executores de plantão.
27.7.2017 – 12:10
Um dos mais tradicionais eventos literários do Brasil, a Festa Literária Internacional de Paraty (Flip) iniciou sua 15ª edição esta semana no litoral fluminense. Os dirigentes do Ministério da Cultura (MinC) Mansur Bassit e Cristian Brayner estarão presentes na programação, composta de atividades que combinam literatura com performance, debates, artes cênicas e visuais. minc-na-flip-interna
Na sexta-feira (28), o secretário de Economia da Cultura do MinC, Mansur Bassit, discute os impactos do setor cultural e criativo na evolução da economia brasileira, em mesa realizada pela Câmara Brasileira do Livro às 18h.
As políticas públicas de Livro e Leitura desenvolvidas pelo MinC estarão em debate, no sábado (29), às 15h, com a participação do diretor do Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas, Cristian Brayner, na mesa “Enquanto isso em Brasília”. Ainda estarão na pauta a discussão sobre a tramitação no Congresso Nacional de projetos de lei: um trata do preço fixo e o outro busca instaurar a Política Nacional de Leitura e Escrita.
Fundação Palmares
A Fundação Cultural Palmares, instituição vinculada ao MinC, também marca presença na Flip. No sábado (29), a partir das 11h, o coordenador geral do Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra, Vanderlei Lourenço, participa da mesa temática “Encontros Malê em Paraty”, que debaterá questões sobre a literatura negra. Nesse encontro, autores que participaram do Prêmio Oliveira Silveira, realizado pela Fundação Palmares, vão dialogar com o público e autografar suas obras.
Além de participar da programação, o MinC apoia a realização da 15ª edição da Flip por meio da Lei Rouanet. A partir da aprovação do projeto pela Pasta, os produtores conseguiram captar via incentivo fiscal, até o momento, mais de R$ 1,4 milhão com patrocinadores.
Saiba mais sobre a Flip, que ocorre até o dia 30 de julho em Paraty.
Fonte: ASCOM MinC
Projeto dissemina cultura afro-brasileira nas escolas públicas

17.7.2017 – 14:02

A cultura afro-brasileira vai ganhar ainda mais espaço no sistema educacional brasileiro. A Fundação Cultural Palmares, instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC), em parceria com o Ministério da Educação (MEC), municípios e estados, começa a levar para as escolas públicas do país um debate sobre as principais questões relacionadas à história e cultura negras, por meio do projeto Conhecendo nossa História: da África ao Brasil.Interna-SITE-palmares-Conhecendo-nossa-Historia

Por meio do projeto, que tem o objetivo de levar conhecimento aos estudantes sobre a contribuição do continente africano na construção da identidade e desenvolvimento nacional, estão sendo distribuídos 40 mil kits educativos para alunos e professores em 16 cidades do Brasil. O material inclui o livro O que Você Sabe sobre a África?, que narra a trajetória do povo afro-brasileiro, e uma revista de palavras cruzadas Passatempo com a mesma temática.

Nesta terça-feira (18) e quarta-feira (19), multiplicadores do projeto participam em Brasília, das 8h às 17h, na sede da Fundação Palmares (Setor Comercial Sul, Quadra 02, Ed. Toufic, 4º andar, sala multimeios), de uma capacitação para aplicarem os conteúdos do kit. Em geral, esses multiplicadores são servidores do quadro das secretarias de Educação municipais, principalmente professores, com experiência curricular com a cultura e a história afro-brasileiras. Cabe a eles disseminar o Conhecendo nossa História: da África ao Brasil para professores e gestores da rede pública.

“Desejamos que esses profissionais entendam a proposta do projeto, que vai além do kit. Queremos que eles façam uma leitura crítica desse material didático e que estimulem seus alunos a refletirem e a dialogarem sobre questões que nos atingem. Nossa intenção é estimular uma rede de debates por todo o país que nos ajude a pensar em políticas públicas destinadas à população afro-brasileira, reduzindo desigualdades históricas”, destaca o presidente da Fundação Palmares, Erivaldo Oliveira.

Para 2018, a Fundação Palmares já planeja ampliar o número de municípios atendidos. A medida está de acordo com a Lei nº 9394/96 (com a redação dada pelas Leis nº 10.639/2003 e nº 11.645/2008), que estabelece a obrigatoriedade do ensino de história e cultura afro-brasileira, africana e indígena.

Municípios contemplados

O projeto piloto contempla estados das cinco regiões do país, assim distribuídos:
• Nordeste: Bahia (Salvador e Santo Amaro da Purificação), Alagoas (Maceió e União dos Palmares) e Paraíba (Campina Grande e João Pessoa)
• Norte: Amapá (Macapá)
• Sudeste: Rio de Janeiro (São Gonçalo, a confirmar; e Paraty), Minas Gerais (Belo Horizonte e Ouro Preto) e Espírito Santo (Vila Velha e Cariacica)
• Sul: Rio Grande do Sul (Porto Alegre e Pelotas) e Santa Catarina (Florianópolis)
• Centro Oeste: Mato Grosso do Sul (Campo Grande)

Serviço
Assessoria de imprensa da Fundação Palmares: (61) 3424-0164
Fonte: ASCOM MinC

 

Prêmio reconhece importância da arte afro-brasileira

27.7.2017 – 10:17

Reconhecimento essencial para a arte produzida pelos negros brasileiros, a 4ª edição do Prêmio Nacional de Expressões Culturais Afro-Brasileiras será realizada na próxima segunda-feira (31), no Teatro Rival Petrobras, no Rio de Janeiro, a partir das 19h. A iniciativa destaca trabalhos nas áreas de música e artes cênicas, além de oferecer um prêmio especial em preservação e difusão do Patrimônio Cultural e Histórico. A premiação é realizada pelo Centro de Apoio ao Desenvolvimento Osvaldo dos Santos Neves (Cadon), entidade sem fins lucrativos que realiza projetos para difusão cultural e combate à discriminação, tem patrocínio da Petrobras e apoio do Ministério da Cultura (MinC) e da Fundação Cultural Palmares. premio-afro-interna

O Prêmio tem como objetivo atender as expressões da estética negra, seus artistas e produtores que defendem o valor dessa cultura nos palcos, nas ruas, nas galerias, nas telas de TV e do cinema, nos livros e no imaginário brasileiro. Este ano, será apresentado no formato do espetáculo Cabaré dos Nossos Sonhos, concebido pelo diretor artístico, roteirista e dramaturgo baiano Elísio Lopes Jr. Ele é uma das revelações dos últimos anos. Já dividiu com Ivete Sangalo a direção artística de um DVD da cantora de axé, assinou a direção artística do Prêmio Braskem de Teatro, cuidou da programação cultural da Copa do Mundo da África do Sul, em 2010, e trabalhou como diretor de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira na Fundação Palmares.

“Este prêmio é de fundamental importância por dar mais visibilidade à cultura afro-brasileira, algo que vai ao encontro das políticas da Fundação Palmares. Vida longa para esta iniciativa, que é uma afirmação da arte dos negros”, destaca o presidente da instituição, Erivaldo Oliveira, que estará presente à cerimônia.

Ao pensar em um espetáculo, a intenção dos organizadores foi romper com um formato cansativo e partir para uma atmosfera mais lúdica. Os convidados se envolverão em um cenário misterioso e mágico em que os cinco personagens cantam sucessos de artistas como Chico Buarque, Gilberto Gil, Wilson Simonal e Tony Tornado.

No palco, aparecem a cantora Rosa Marya Colin, a atriz angolana Heloísa Jorge, o cantor Lelêzinh, vocalista do Dream Team do Passinho, a atriz Ariane Souza e o ator Orlando Caldeira. A performance vai homenagear o ator Antônio Pompeu, morto no ano passado, e contará com a participação especial de Zezé Mota.

A 4ª Edição do Prêmio recebeu ao todo 434 inscrições, sendo 179 no segmento de artes cênicas, 187 em música e 68 para o Prêmio Especial – Preservação e Difusão do Patrimônio Cultural e Histórico. Todas as regiões do Brasil acessaram o portal do Prêmio, sendo que o maior número de inscritos foi do Sudeste, com quase 50%, seguido pelo Nordeste, com cerca de 20% do total recebido.

Um júri formado por nove especialistas, de várias partes do Brasil, escolheu os finalistas. Além do troféu, levarão para as suas regiões um prêmio em dinheiro, em um total de R$ 900 mil. Onze projetos foram selecionados.

Conheça os vencedores

Música
• Um corpo no mundo – SP
Dandara Produções Culturais e Audiovisuais Ltda – Me

• Memórias Afro-Atlânticas: as gravações de Lorenzo Turner na Bahia (1940/1941) – BA
Couraça Criações Culturais

• Rodas Griô com Mestra Martinha do Coco – DF
Instituto Rosa dos Ventos de Arte, Cultura e Cidadania

• Orquestra Afro Brasileira – 75 anos – RJ
Singra Produção Comunicação e Marketing Ltda

• O Berço do Batuque no RS: Mestre Borel – Toques e Cantos da Nação Oyó-Idjexá – RS
RBK ME

Artes Cênicas

• Deixa-Me Ser Tambor – PA
Associação Cultural e Esportiva de Negros na Amazônia – Acena

• Luz Negra- O Negro Em Estado De Representação – PE
O Poste Soluções Luminosas LTDA-ME

• Liberdade Assistida – DF
Traço Cultural

• Traga-Me A Cabeça De Lima Barreto – RJ
Comuns Eventos e Projetos Culturais Ltda

• Macumba: Uma Gira Sobre Poder – PR
Transitória Produções Artísticas e Comunicação Ltda ME

Prêmio Especial

• Memorial Pretos Novos – RJ
Instituto de Pesquisa e Memória Pretos Novos

Serviço:
Mais informações no site: www.premioafro.org
Dia 31 de Julho, segunda-feira, a partir das 19h
Local: Teatro Rival Petrobras. Rua Álvaro Alvim – 33, Cinelândia, Rio de Janeiro (RJ)

Fonte: ASCOM MinC

1 Comentário

  1. Claudio Henrique dos Santos
    É muito importante que a cultura negra tenha seu valor também E aproveitando essa ocasião especial deixo o meu novo website do PNC para ser usado em todas suas metas
Inscrições abertas para a 11ª Primavera dos Museus
26.7.2017 – 15:31
A preparação dos museus brasileiros para a estação mais florida do ano já começou. Estão abertas até 14 de agosto as inscrições para a 11ª Primavera dos Museus, ação coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), instituição vinculada ao Ministério da Cultura (MinC). A Primavera dos Museus ocorre todos os anos no início da estação homônima. 11-primavera-museus-interna
Museus e outras instituições culturais podem inscrever atividades que proporcionem à sociedade a reflexão e a discussão sobre museus e suas memórias, tema da edição deste ano. De 18 a 24 de setembro, os museus participantes realizarão programação especial, com seminários, exposições, oficinas, visitas monitoradas e exibições de filmes, entre outras.
A inscrição deve ser feita exclusivamente por meio de preenchimento do formulário eletrônico disponível neste link. Mesmo que o museu tenha participado de outras edições da Primavera dos Museus ou da Semana Nacional de Museus, é necessário realizar nova inscrição. Pelo formulário, também devem ser inscritas as atividades a serem realizadas pela instituição cultural. A efetiva participação do museu apenas é confirmada com a inscrição de um ou mais eventos.
Para mais informações, entre em contato com o Ibram pelos telefones (61) 3521-4135 / (61) 3521-4142 ou pelo email primavera@museus.gov.br
Fonte: ASCOM MinC
Gramado (RS) recebe Núcleo de Produção Digital

19.7.2017 – 16:27

IMG_6457_-_Copia.JPG

João Batista da Silva e prefeito João Alfredo Bertolucci (Foto: Acácio Pinheiro/Ascom MinC)

Gramado (RS) será a segunda cidade brasileira, após Macapá (AP), a receber um Núcleo de Produção Digital (NPD) do Ministério da Cultura (MinC). O acordo de cooperação foi assinado nesta quarta-feira (19), em Brasília, pelo prefeito da cidade gaúcha, João Alfredo Bertolucci, o secretário municipal de Cultura, Allan Lino, e o secretário do Audiovisual substituto do MinC, João Batista da Silva. Parte integrante do programa Olhar Brasil, os Núcleos incluem câmeras, lentes, cartões de memória, tripés, cases para proteção e transporte do equipamento, refletores, microfones, gravadores, softwares de edição, computadores e caixas de som.

“O recebimento de um Núcleo de Produção Digital representa um avanço extraordinário na área cultural, na formação dos nossos jovens e no crescimento intelectual de toda a cidade de Gramado”, destacou o prefeito João Alfredo Bertolucci. “Temos uma ligação muito forte com a arte cinematográfica, uma vez que realizamos, todos os anos, um dos festivais de cinema mais importantes do País, o Festival de Cinema de Gramado, que neste ano chega à 45ª edição”, completou.

Nos próximos meses, serão distribuídos mais 14 NPDs em cidades a serem definidas. Os equipamentos foram adquiridos, por meio de licitação, pela Secretaria do Audiovisual e estão armazenados no Centro Técnico do Audiovisual (CTAv), unidade do Ministério da Cultura localizada no Rio de Janeiro.

Olhar Brasil

Com a distribuição dos Núcleos de Produção Digital (NPD), o Ministério da Cultura retoma o programa Olhar Brasil, lançado a primeira vez em 2005. O programa estabelece um novo pacto entre o setor audiovisual e a Secretaria do Audiovisual, com o empoderamento local, a descentralização, a democratização e a governança compartilhada da política pública para o setor.

Na última semana de setembro, a Secretaria do Audiovisual vai realizar, na Cidade de Goiás (GO), um seminário para discutir um modelo de gestão para os NPDs. “O ideal é que os Núcleos estejam abertos à comunidade e, sobretudo, que atendam à população”, afirmou João Batista da Silva. “Queremos ouvir todos os participantes do Programa Olhar Digital, todos aqueles que compõem os Núcleos Digitais, mesmo os antigos, e os institutos federais que têm curso de audiovisual. O objetivo é identificar quais são os potenciais de cada região, quais áreas precisam ser mais bem exploradas. A partir desse diagnóstico, iremos elaborar um plano de trabalho para orientar as atividades dos núcleos nesta nova fase do programa”, completou.

Os Núcleos de Produção Audiovisual devem funcionar como um centro de qualificação e de produção não comercial, fortalecendo a cadeia produtiva local. Devem ser um multiplicador de conhecimento, promovendo cursos, oficinas e palestras de aperfeiçoamento técnico para a comunidade. Poderão estar articulados com as outras políticas da Secretaria do Audiovisual, tais como o Cine Mais Cultura, projeto que estimula a formação de cineclubes e a aproximação do cidadão à diversidade cultural do país.

Fonte: ASCOM MinC