Você está aqui:

Acordo assinado pelo ministro Sérgio Sá Leitão e pelo presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos, visa oferecer programas de formação e capacitação a empreendedores da economia criativa (Foto: Ronaldo Caldas/Ascom MinC)

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, e o presidente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Guilherme Afif Domingos, assinaram nesta segunda-feira (4), em São Paulo (SP), acordo de cooperação técnica para oferecer programas de formação e capacitação a empreendedores da economia criativa. A parceria prevê a realização de oficinas presenciais e a distância, pesquisas sobre o setor e a preparação de até 180 empreendedores brasileiros que serão selecionados para participar do Mercado das Indústrias Criativas do Brasil (MicBR), megaevento de negócios que será realizado de 5 a 11 de novembro na capital paulista.

Sá Leitão destacou a importância da economia criativa para o desenvolvimento do Brasil, lembrando que o setor já responde por 2,64% do PIB (Produto Interno Bruto, que é a soma de bens e serviços produzidos no país), gera 1 milhão de empregos e paga salários acima da média nacional, sendo um nicho que atrai trabalhadores jovens – faixa etária em que os níveis de desemprego são ainda mais altos no brasil. “Precisamos apoiar o empreendedorismo cultural, de modo que tenhamos profissionais cada vez mais capacitados para levar adiante seus empreendimentos”, disse o ministro.

O acordo foi assinado no Palácio Campos Elísios, antiga sede do governo estadual de São Paulo, atualmente cedida para o Sebrae. No prédio, funciona o Centro Nacional de Referência em Empreendedorismo, Tecnologia e Economia Criativa do Sebrae. “Nesta casa, que é do passado, estamos projetando o futuro”, destacou Afif Domingos. “A economia criativa é formadora de trabalho e renda. Nosso papel é exatamente qualificar esses empreendedores da cultura”, acrtescentou

A gerente da Unidade de Comércio e Serviços do Sebrae Nacional, Ana Clévia Guerreiro, afirmou que o acordo prevê a disponibilização de conteúdos na internet e a realização de oficinas presenciais e a distância. Empreendedores culturais serão capacitados para participar de editais, recebendo instruções também sobre como prestar contas dos valores recebidos. O Sebrae ficará encarregado ainda de oferecer formação para os empreendedores participantes do MicBR, além de conduzir as rodadas de negócios durante o megaevento. Pesquisas sobre economia criativa, cujos temas específicos ainda serão definidos, também fazem parte da parceria.

Museu do Futebol

Exposição no Museu do Futebol aborda a primeira conquista da Copa do Mundo pelo Brasil, em 1958 (Foto: Ronaldo Caldas/Ascom MinC)

Sá Leitão participou, na segunda-feira (4) à noite, da abertura da exposição A Primeira Estrela: o Brasil na Copa de 1958, no Museu do Futebol, em São Paulo. A mostra, que poderá ser visitada pelo público a partir desta terça-feira (5), conta, por meio de instalações audiovisuais e interativas, a primeira conquista da Copa do Mundo pela seleção brasileira. A exposição, assim como outras atividades do Museu do Futebol – que é mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo – recebeu recursos da Lei Rouanet.

O ministro aproveitou o evento para defender o mecanismo do incentivo fiscal, lamentando que a Lei Rouanet seja alvo de críticas muitas vezes infundadas. “Eu sou um entusiasta da lei federal de incentivo à cultura. Muitos desses ataques se baseiam na ignorância sobre como esse mecanismo funciona”, afirmou ele, pedindo ao público que ajude o Ministério da Cultura a combater a desinformação. “Lembrem-se desta exposição.”
Na tarde da segunda-feira (4), Sá Leitão já havia defendido a Lei Rouanet ao participar do Fórum Nacional de Cultura, no auditório do mesmo Museu do Futebol. “A Lei Rouanet quase tem que mudar de nome para Lei Geni, porque apanha e leva pedra todo dia. Mas nossa produção cultural não teria chegado aonde chegou sem esse mecanismo. Já foram investidos R$ 16,5 bilhões em 50,4 mil projetos culturais em todas as regiões do país”, disse o ministro.
Fonte: ASCOM MinC